528 novos casos confirmados - Regiões de França na lista de risco

O Conselho Federal realizou uma conferência de imprensa onde anunciou as novas medidas para lutar contra o Covid-19.

528 novos casos confirmados

528 novos casos de covid-19 foram confirmados no dia de hoje. Para além disso, nas últimas 24 horas, 13 pessoas foram hospitalizadas e 3 pessoas faleceram. Foram realizados 16287 testes, conclui-se que o rácio de testes positivos é de 3.24%

Várias regiões de França na lista de risco

A nova lista de países de risco vai ser atualizada na próximo segunda-feira. Várias regiões de França vão ter quarentena obrigatória ao chegar à Suíça. Pois, o Conselho Federal decidiu que a quarentena, nos países vizinhos, iria ser imposta por região e não na totalidade do país. Para além de França, a Áustria também tem a região de Viena na lista de quarentena.

https://twitter.com/BAG_OFSP_UFSP/status/1304406306879664129?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1304406306879664129%7Ctwgr%5Eshare_3&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.rts.ch%2Finfo%2F11594858-neuf-regions-francaises-en-zone-rouge-mais-pas-de-quarantaine-pour-les-frontaliers.html

Para além das regiões do mapa, alguns território ultramarinos de França também estão na lista:

  • Guiana Francesa;
  • Guadalupe;
  • Polinésia Francesa;
  • Ilha da Reunião;
  • Martinica;
  • Mayotte;
  • São Bartolomeu;
  • São Martinho.

Também foram adicionadas à lista a Républica Checa e as Ilhas Virgens Británicas.

Alargamento da isenção de quarentena

O conselho federal decidiu alargar para outras pessoas a isenção de quarentena. Desta forma, artistas que vão para uma representação cultural, os desportistas que vão ter uma competição assim como os participantes a um congresso científico. A única condição é que o evento tenha um plano de proteção.

As pessoas que têm de se deslocar para uma região de risco por razões profissionais ou médicas, e quando a viajem não pode ser adiada, também estão isentas.

Redução do tempo de quarentena...em alguns casos

O Conselho Federal decidiu adaptar o tempo de quarentena, que se situa agora nos 10 dias. Desta forma, uma estadia num país que não se encontra na lista de risco antes da entrada na Suíça, poderá ser reduzido do tempo de quarentena.

Testes mais baratos

Os testes Covid-19 são agora mais baratos. O Conselho Federal decidiu baixar de 95 a 82 francos o teste de despistagem e de 39 à 25 francos o teste dos anticorpos.

Subsídios por perda de rendimentos prolongada até ao final de 2021

Os independentes cuja atividade é impedida pelas medidas anti-covid poderão beneficiar dos subsídios de perda de rendimentos até ao final de 2021. Esta medida irá beneficiar as pessoas em quarentena e os pais cujos filhos não podem ser mantidos por terceiros. As pessoas afetadas devem apresentar um novo pedido ao seu fundo de compensação a partir de dia 17 de setembro.

Os bares e discotecas afetados também poderão beneficiar desta ajuda.

 

 

 


Covid-19 - Situação estável mas frágil

Em declarações na conferência de imprensa do dia de hoje, Stefan Kuster, representante do Escritório Federal de Saúde Publica (BAG/OFSP), referiu que a situação está estável mas frágil.

Estabilizar e reduzir o número de infeções

O objetivo é de estabilizar e, se for possível, reduzir o número de infeções e hospitalizações. A taxa de testes positivos situa-se nos 3.1%. Metade dos casos são dos cantões de Genève, Vaud, Zürich, Fribourg e Bern. De referir que estes cantões apresentam uma grande densidade populacional.

Em média, as pessoas infetadas têm menos de 31 anos. O principal objetivo da OFSP é de evitar que pessoas de idade ou de grupos de risco sejam infetadas. Para Stefan Kuster, as medidas atuais parecem ser eficazes. Stefan Kuster relembra que as regras de higiene e de distanciamento social têm de ser respeitadas.

405 novos casos de Covid-19

A OFSP anunciou 405 novos casos de Covid-19, nas últimas 24 horas. 16'400 testes foram realizados. O rácio de testes positivos é de 2.47%, percentagem inferior aos dois últimos dias.

SBB/CFF/FFS afetados pela crise

A empresa de transporte ferroviário Suíço está a ser afetada pelo Covid-19. No primeiro semestre de 2020, 810 000 passageiros utilizaram os CFF. No mesmo período do ano passado, 1.2 milhões de passageiros viajaram com os CFF. Este recuo representa uma perda de 479 milhões de francos.

 

 


Número de dias de quarentena poderá vir a ser reduzido

Os ministros cantonais da Saúde vão encontrar-se com o conselheiro Federal Alain Berset para abordar a questão dos dias de quarentena. A duração da quarentena está cada vez mais a ser discutida e poderá ser reduzida.

10 dias de quarentena

Atualmente, a quarentena está fixada a 10 dias. Numa festa, numa aula ou num evento, se uma pessoa é testada positiva, dezenas de pessoas são postas em quarentena. Será que isso é realmente necessário? Para Mauro Poggia, Conselheiro de Estado da Saúde de Genève, seria importante reduzir o tempo de quarentena. "Hoje, as pessoas têm muita pena a compreender a utilidade de ficar em casa durante 10 dias quando não têm sintomas. Então, se podemos reduzir este período ou impor condições alternativas que permitem continuar a ter uma vida social ou profissional, é uma pista a seguir".

"Temos cerca de 12 000 pessoas em quarentena, o que é complicado para as pessoas afetadas e uma desvantagem para a vida profissional. No entanto, não temos de ser influenciados. A quarentena tem de durar o tempo necessários e cientificamente razoável para reduzir os riscos de infeção", referiu Lukas Engleberger, presidente da assembleia dos diretores cantonais da Saúde.

Mais testes

Para saber o número exato de dias de quarentena, é necessário efetuar mais estudos. "Não existe atualmente nenhuma dado que permite definir esta questão. Mas é certamente importante que façamos mais inquéritos para verificar com precisão, por exemplo testando indivíduos durante a quarentena, 5, 8 ou 10 dias depois da exposição ao vírus e, depois, utilizar estes dados para determinar exatamente quando pode acabar a quarentena." Referiu o epidemiologista Sebastian Bonhoeffer.

Já estiveste em quarentena? Como correu a tua quarentena? Preferias que os dias fossem reduzidos?

 


Países de risco: mudanças nos critérios previstas?

O Conselho Federal Suíço está a estudar a mudança do sistemas das listas de risco, para efetuar quarentena na Suíça.

Problemática de França

Atualmente, pelos critérios existentes, a França já deveria ter sido colocada na lista de risco pela Suíça. No entanto, visto que a França é um país vizinho e tem um intenso tráfego fronteiriço em Genève e Basel, o Conselho Federal não quer colocar a França no seu todo na lista de risco. Isto porque poderia impactar os trabalhadores oriundos de França.

Quarentena por regiões

Para o Conselheiro Federal Alain Berset, o ideal é de ter em conta contextos regionais, impondo somente quarentena para os turistas da região de Paris e os da Côte d'Azur. Esta solução não iria paralisar as regiões da fronteira com a Suíça, para além de que a situação da pandemia é homogénea e inferior à região parisiense, por exemplo.

Mudança discutida a 11 de setembro

O Governo irá reunir-se a no dia 11 de setembro para discutir as mudanças a adotar na lista de risco?

E Portugal? Também será impactado?

Não se sabe ainda. Se a nova portaria do Governo fizer referência a regiões de qualquer país, Portugal poderá ser impactado. No entanto, a problemática da Suíça é mesmo dos países vizinhos, onde existe uma grande mão de obra que trabalha na Suíça mas reside no estrangeiro. Saberemos mais a 11 de setembro.


Manifestações de mais de 1000 pessoas autorizadas em outubro

O Conselho Federal fez uma conferência de imprensa para dar a conhecer as últimas medidas para lutar contra o Covid-19.

Manifestações de mais de 1000 pessoas autorizadas

A partir de dia 1 de outubro, as manifestações de mais de 1000 pessoas são autorizadas, mas com algumas medidas de restrição. No entanto, a decisão final na autorização de uma manifestação será dada pelos cantões.

Três critérios

Haverá três critérios para que as manifestações sejam aceites:

  • A situação sanitária do cantão tem de ser favorável;
  • O cantão tem de ter as capacidades necessárias para que o rastreamento de contactos;
  • Que os conceitos de proteção apresentados sejam suficientes.

Rastreamento exigido

Para qualquer evento de mais de 1000 pessoas, os espetadores têm de estar sentados para saber quem ficou ao lado de quem. Existem no entanto algumas exceções como por exemplo competições de esqui, ciclismo, festas de aldeia ao ar livre.

Os estádios e recintos de patinagem poderão estar preenchido até 2/3 da capacidade.

Os organizados dos eventos deverão se conformar a um plano de proteção claro, em que deverá ser enunciado se é necessário o uso de mascara ou não, e se haverá lugares sentados. O plano de proteção deverá incluir as explicações para a gestão do fluxo de pessoas assim com a recolha dos dados das pessoas presentes nesses eventos.

Cantões poderão decidir restrições adicionais

Os cantões têm a palavra final e, por isso, poderão exigir restrições adicionais, como limitação do número de pessoas assim como a imposição do uso de mascara em todos os eventos.

Planos de proteção para o futebol e hockey

A Swiss Football League e a Swiss Ice Hockey Federation elaboraram em conjunto os planos de proteção para os jogos dos campeonatos nacionais de futebol e hockey no gelo, de forma uniforme, para toda a Suíça.

O público terá de ficar sentado e uso de mascara será obrigatório. O público terá te estar claramente separado da zona de jogo. Tal como referido anteriormente, os estádios terão uma capacidade de 2/3 da lotação total, e a equipa visitante não terá lugares disponíveis.

A restauração é permitida unicamente em lugares sentados e a venda e consumo de bebidas alcoólicas será limitado para que os espetadores respeitem o plano de proteção.

França ainda não está na lista de risco. A Bélgica irá sair da lista na próxima atualização

A lista de risco irá ser atualizadas nos próximos dias. Apesar de França já ter ultrapassado o limite de 60 casos por 100'000 habitantes, nas últimas duas semanas, a Confederação decidiu de não colocar, para já, a França na lista de países de risco.

Segundo o Conselho Federal Alain Berset. "não há automatismos nestas questões. Decidimos tomar algum tempo para analisar a situação". "É a primeira vez que somos confrontados com um país com a qual partilhamos a fronteira terrestre, onde existe enormemente contacto e partilhas, com aglomerações comuns", referiu Alain Berset.

Por outro lado, a Bélgica irá ser retirada na lista na próxima atualização, por estar abaixo do limite dos 60 casos por 100'000 habitantes nos últimos 14 dias.

"Situação frágil, mas controlada"

Para Alain Berset, a situação está frágil mas sob controlo. "Os números são mais elevados do que tinha sido estimado antes das férias de verão".

"Temos as infeções que estão a aumentar, mas a situação continua relativamente boa: não temos cargas particulares nos hospitais, muito poucas hospitalizações devido ao Covid e poucas mortes. São sobretudo os mais jovens que estão a ser tocados e sofrem de uma forma menos grave a doença", referiu Alain Berset.

 

Fonte: RTS

 

 


Eventos de mais de 1000 pessoas e mascaras obrigatórias em todas as companhias aéreas

Conferência de imprensa do Conselho Federal onde foram divulgadas novas medidas e informações sobre o covid-19.

Eventos de mais de 1000 pessoas

Os eventos com mais de 1000 pessoas voltam a ser autorizadas a partir de dia 1 de outubro. Os organizadores deverão respeitar as medidas de proteção e obter uma autorização cantonal. "As manifestações estavam proibidas até fim de agosto. Organizar eventos destes rapidamente, sem limite, não parece viável neste momento. É por isso que o Conselho Federal decidiu prolongar essa interdição por um mês, até fim de setembro". Declarações da presidente da Confederação, Simonetta Sommaruga.

As medidas de proteção

As autoridades Suíças estão a estudar as medidas a serem impostas. Segundo o Conselheiro Federal Alain Berset, as grandes manifestações não são todas idênticas. "Um jogo de futebol não é comparável a um concerto de música clássica". Segundo Alain Berset "a interdição dos grandes eventos desde o dia 28 de fevereiro foi certamente uma das principais medidas que permitiu reduzir o número de infeções".

O Departamento Federal do Interior ficou encarregue, em colaboração com os cantões e os outros departamentos, de definir as medidas para obter a autorização para a realização de eventos. As medidas serão anunciadas dia 2 de setembro.

Mascara obrigatória nos aviões

Desde dia 6 de julho, o uso de mascara é obrigatório em todos os transportes públicos Suíços. Agora, todas as companhias aéreas deverão obrigar o uso de mascara a todos os aviões que cheguem ou partem da Suíça.

Crédito extra pedido pela Confederação

A Confederação precisa de 770 milhões de francos extras para fazer face ao Covid-19.

O Parlamento já autorizou até agora gastos de 31 mil milhões assim como obrigações e garantias no valor de 42 mil milhões de francos, no primeiro semestre de 2020. Alguns ramos necessitam de um financiamento adicional para atenuar os efeitos da crise do Covid-19.

Cerca de 288.5 milhões são pedido para financiar os testes Covid-19 que são suportados pela Confederação desde o dia 25 de junho. O fundo das infraestruturas ferroviárias deve beneficiar de uma ajuda de 221.3 milhões.

150 milhões estão previstos para ajudar Skyguide, empresa responsável pelo controlo aéreo na Suíça.

700 milhões para as empresas de transporte

As empresas de transporte público assim como transportes de mercadoria por via ferroviária vão receber ajudas para atenuar as perdas devido à pandemia. O Conselho Federal pretende ajudar com 700 milhões de francos.

Na altura de confinamento parcial, o número de passageiros baixou de 80%, afetando fortemente as finanças destas empresas.

Mais responsabilidade para todos

Segundo a Presidente da Confederação Suíça, Simonetta Sommaruga, "cada aligeiramento de medidas exige mais responsabilidade".

Para o Conselheiro Alain Berset "Todas as pessoas têm de respeitar as regras de distância e colocar-se em quarentena depois de viajar num país de risco".

Fundo de desemprego parcial para as empresas mantido até final do ano

Será mantido, até ao final do ano, o procedimento sumário que permite recorrer ao fundo de desemprego parcial.

 

 

 


Espanha adicionado à lista de risco - Quarentena obrigatória

A partir deste sábado dia 8 de agosto, todas as pessoas provenientes de Espanha terão de fazer quarentena obrigatória na Suíça. As ilhas Baleares e Canárias estão isentas destas medidas.

A Espanha foi o único país adicionado à lista?

Não, outros países também foram adicionados à lista do Escritório Federal de Saúde Pública (BAG/OFSP): Bahamas, Guiné Equatorial, Roménia, São Tomé e Príncipe, Singapura e São Martinho. A lista completa pode ser lida aqui.

Se vier de Portugal, terei de fazer quarentena por passar por Espanha?

Não, tal como anunciado hoje por Patrick Mathys, chefe da secção de crise da OFSP, as pessoas que atrevessem Espanha em trânsito, como as vindo de Portugal, não terão de fazer quarentena ao chegar à Suíça. Somente se permanecerem mais de 24 horas em Espanha.

Como posso provar que só estive em trânsito por Espanha?

Na Suíça os controlos não são sistemáticos. A Confederação acredita na responsabilidade individual dos cidadãos para fazer face ao vírus. As pessoas que têm de fazer quarentena, terão de se anunciar às autoridades do cantão de chegada, por elas mesmas. No entanto, se um controlo venha a ser realizado, terás de conseguir provar que estiveste em Espanha só de passagem. Poderás, por exemplo, pedir um papel na fronteira de Espanha com Portugal e com França, com as horas de passagem, desta forma poderás provar que só estiveste em trânsito por Espanha.

Estou de férias em Espanha. O meu patrão pode recusar a pagar-me o salário quando estiver em quarentena?

A Confederação referiu hoje que as pessoas que já se encontram num país de risco, que ainda não estava na lista, não terão de se preocupar com o salário. Segundo Michael Schöll, vice-diretor do Escritório Federal da Justiça, "ninguém deve ser tentado a evitar a quarentena por razões financeiras". "Fiquem em casa e avisem o vosso empregador".

No caso em que a quarentena não é culpa do empregado (país adicionado depois de ter ido de férias), o pagamento de salário é garantido. Para as pessoas que não podem trabalhar em casa, o Conselho Federal decidiu que o pagamento das prestações por perda de benefícios será garantido por 10 dias.

Desta forma, não precisas de te preocupar pois o salário será sempre assegurado.

 

 


Mais países na lista de risco? Provável

Vários países estão a ultrapassar os limites de casos impostos pela Suíça e poderão vir a ser adicionados à lista de risco.

A Suíça impõe restrições de quarentena a vários países na altura de entrar na Suíça. Atualmente, estes são os países que se encontram na lista que é atualizada pelo menos uma vez por mês:

 

  • Arábia Saudita
  • Argentina
  • Armênia
  • Azerbaijão
  • Bahrein
  • Bolívia
  • Bósnia e Herzegovina
  • Brasil
  • Cabo Verde
  • Chile
  • Colômbia
  • Costa Rica
  • El Salvador
  • Emirados Árabes Unidos
  • Equador
  • Eswatini (Suasilândia)
  • Estados Unidos da América
  • Guatemala
  • Honduras
  • Ilhas Turcas e Caicos
  • Iraque
  • Israel
  • Cazaquistão
  • Quirguistão
  • Kosovo
  • Kuwait
  • Luxemburgo
  • Macedónia do Norte
  • Maldivas
  • México
  • Moldávia
  • Montenegro
  • Omã
  • Panamá
  • Peru
  • Catar
  • República Dominicana
  • Rússia
  • Sérvia
  • Suriname
  • Território Palestino Ocupado.

Espanha possivelmente na lista?

O número de casos em Espanha tem aumentado consideravelmente, estando atualmente a mais de 40 casos / 100 000 habitantes. De relembrar que a Confederação Suíça considera um país de risco, ou seja, que tenha de fazer quarentena ao chegar à Suíça, quando o país atinge os 60 casos / 100 000 habitantes.

A Roménia, Singapura e Andorra já ultrapassaram esse limite e estarão provavelmente na próxima lista da Confederação Suíça. Outros casos preocupantes são a Albânia e a Bulgária.  A lista é atualizada pelo menos uma vez por mês, sendo que a última atualização ocorreu no dia 23 de julho.

Um teste negativo não significa que a quarentena pode ser retirada

O Escritório Federal de Saúde Pública (BAG/OFSP) escreveu hoje no seu site oficial que as pessoas que provêm da lista de risco têm de fazer quarentena de todas as formas. Mesmo se tiverem um teste negativo à chegada à Suíça.

Segundo a OFSP, depois da infeção, tem de se esperar no mínimo cinco dias para que o vírus se tenha propagado pelo corpo e que posso ser detetado com o teste.

Se tiveste num país de risco, tens 48 horas para te anunciar às autoridades do cantão. Se não respeitares a quarentena poderás receber uma multa até 10 000 francos.


Covid-19 - Discoteca em Bern encerrada pelas autoridades

Este sábado às 23h as autoridades fecharam a discoteca "Kapitel Bollwerk", sob ordem do médico cantonal de Bern. Várias pessoas que frequentaram o estabelecimento foram testadas positivas ao Covid-19.

305 pessoas em quarentena

A Direção de saúde, assuntos sociais e integração do cantão de Bern já tinha anunciado na sexta-feira que 305 pessoas encontravam-se em quarentena depois de uma pessoa que frequentou a discoteca no fim-de-semana passado ter sido testada positiva.

Num comunicado efetuado esta madrugada, a Direção indicou que mais duas pessoas que frequentaram esse estabelecimento no dia 18 de julho também foram testadas positivas.

Uma dessas pessoas esteve também esta quinta-feira no estabelecimento, sendo que já era contagiosa nessa altura.

Interromper a cadeia de transmissão

O médico cantonal decidiu fechar a discoteca para interromper a cadeia de transmissão. As cerca de 140 pessoas que estiveram presentes na discoteca no quinta-feira vão ser contactadas no dia de hoje pelas autoridades do cantão.

Fonte: RTS


Metade dos viajantes que retornam de países em risco não ficam em quarentena

O presidente da organização dos médicos cantonais Rudolf Hauri pede que haja verificações em todos os aviões e autocarros que retornam de países considerados de risco. Pois, segundo as investigações levadas a cabo por NZZ am Sonntag, mostram que menos de metade das pessoas que retornam de países de risco cumprem as regras impostas pela Confederação.

Nesta sexta-feira o Escritório Federal de Saúde Pública anunciou que iria efetuar controlos esporádicos nos voos e autocarros que chegam à Suíça. Cerca de 20 a 30 voos por semana serão controlados pelas autoridades Suíças, para verificar se os passageiros cumprem com as regras depois de chegarem ao país.

Uma campanha de informação a nível nacional

Para Rudolf Hauri, os controlos esporádicos são um bom começo, no entanto, não são suficientes. Para este, a Confederação deveria fazer controlos mais sistemáticos em cada avião e autocarro.

Rudolf Hauri recomenda à Confederação de fazer uma campanha nacional de informação para mostrar que todos os viajantes podem ser afetados.

Responsabilidade individual

Desde o início da pandemia, a Confederação sempre contou com a responsabilidade individual das pessoas. Na quarentena obrigatória, a confederação continua a contar com a responsabilidade individual dos passageiros.

No entanto, a partir de agora, irão ser dadas informações dentro dos autocarros e aviões ao chegarem à Suíça. Esta nova campanha foi anunciada na sexta-feira, na habitual conferência de imprensa sobre o Covid-19 realizada pela Confederação.

99 casos anunciados neste domingo

A OFSP anunciou esta manhã 99 novos casos de coronavírus nas últimas 24 horas, menos 11 do que no Sábado.

Nos últimos 7 dias, 658 novas infeções foram anunciadas. Sendo que nestes 7 dias, 16 pessoas foram hospitalizadas. Cerca de 615 pessoas encontram-se isoladas e 2622 em quarentena.