Países da UE já começaram a restringir viagens

Depois desta semana os líderes Estados Membros da UE terem feito uma teleconferência, países da UE já começaram a restringir viagens.

Bélgica e França

Por exemplo, a Bélgica proíbe a população de viajar sem ser por motivos essenciais, isto até ao dia 1 de março. Em França, a partir deste domingo, é necessário apresentar um teste PCR realisado 72 horas antes da entrada em França. Este teste é simplesmente exigido para viagens não essenciais.

Os países podem impor restrições nas fronteiras

Os Estados-membros da União Europeia vão poder fazer restrições nas fronteiras, tanto internas como externas, desde que sejam pontuais, no quadro da luta contra a pandemia de Covid-19. No entanto, o espaço Schengen tem de continuar a funcionar.

Nos próximos dias haverá certamente novas restrições em vários países. Uma mensagem clara para evitar viagens não essenciais.


Falta de vacinas na Suíça

O processo de vacinação não tem estado a correr como previsto na Suíça. Alguns cantões referem faltarem doses suficientes para administrar aos pacientes.

Cantão de Vaud quer acelerar o ritmo das vacinações, mas faltam doses

As autoridades de Vaud defendem-se por não serem tão rapidos do que outros cantões. Dizem estar a apostar num aumento gradual com, entre os novos anúncios, a eventual abertura de um grande centro de vacinação em Beaulieu com capacidade para vacinar 2000 pessoas por dia.

Para relembrar quatro centros de vacinação  já estão ativos no cantão de Vaud, no CHUV em Lausanne, Yverdon, Morges e Gland. Outros dois abrirão na segunda-feira em Payerne e Rennaz.

Doses dadas de forma calculada

"Isto não é um concurso de beleza", disse Oliver Peters, chefe do planeamento de vacinação de do cantão de Vaud, criticando as comparações feitas nos últimos dias entre cantões. Enquanto alguns cantões administravam as suas primeiras doses rapidamente, outros como Vaud o fazem de uma forma calculada, explicou ele numa conferência de imprensa.

"Queremos sempre poder dar a segunda dose", que é necessária para que a vacina seja eficaz, disse Oliver Peters. Disse ter recebido chamadas de alguns cantões que, tendo acelerado na vacinação, já não eram capazes de fornecer a segunda dose.

O chefe do departamento alertou sobretudo para uma "falta de stock" que poderia ocorrer no início de Março, tendo em conta o atual calendário de entregas previsto pela Confederação.

No Valais/Wallis já faltam doses

O Instituto Central de Hospitais (ICH) já não está a receber novas vacinas, disse na sexta-feira Joakim Faiss, porta-voz do Hospital de Valais. A falta de vacinas diz respeito tanto à da Pfizer como a Moderna.

A situação é "inesperada" para a ICH, que recebe, armazena e distribui as doses às cirurgias dos médicos, que são os únicos a administrar a vacina no Valais. Aparentemente, os fabricantes têm dificuldade em entregar e a ICH não tem qualquer controlo sobre isso.

As práticas que já fizeram encomendas serão fornecidas até ao início de Fevereiro, mas aqueles que encomendarem hoje não receberão a entrega, diz Joakim Faiss. A ICH não sabe quanto tempo esta situação irá durar.

No entanto, não há qualquer problema relativamente à segunda dose que cada paciente deve receber. Isto é garantido, assegura a ICH.

 

 


Confederação vai informar duas vezes por semana o número de vacinações efetuadas

Após vários adiamentos, a Confederação fornecerá informações duas vezes por semana a partir de sexta-feira sobre os dados de vacinação nos cantões, disse Alain Berset, Ministro da Saúde, numa conferência de imprensa realizada hoje.

"Estes dados tornarão possível ver quantas vacinas foram administradas nos cantões. A capacidade atual está lá, mas precisa de ser continuamente aumentada", disse Alain Berset. Segundo este, a partir de Fevereiro a Suíça receberá muito mais doses de vacina.

Em Fevereiro os cantões terão de ter 525 doses por dia e por 100.000 habitantes, nos 7 dias da semana. Em Junho, esta capacidade terá de ser triplicada para 1500 doses.

Além disso, o Conselheiro Federal reconheceu que o início desta campanha foi um enorme desafio logístico que não é fácil de realizar. Os cantões escolheram estratégias diferentes, mas as coisas devem ser suavizadas ao longo do tempo.

Fonte: RTS

 


110 000 vacinações efetuadas até ontem

Na conferência de imprensa do Ministério da Saúde Suíço de hoje foram revelados os números das vacinações: 110'000 até segunda-feira à noite.

Não há detalhes por cantão

Apesar de terem sido anunciados para esta terça-feira, não foram dados números que detalhem o número de doses administradas por cada cantão. As disparidades cantonais têm sido apontadas nos últimos dias e alguns cantões estão a ser criticados pela sua lentidão.

A Suíça também é afetada por atrasos na entrega da vacina Pfizer/BioNTech Covid-19, mas os volumes adquiridos chegarão, disse Nora Kronig, chefe da Divisão Internacional do Gabinete Federal de Saúde Pública na conferência de imprensa.

Virginie Masserey, responsável da Secção de Controlo de Infecções, assinalou que a campanha actualmente em curso no país não revelou até agora quaisquer efeitos secundários indesejáveis graves.

Notícia positiva: taxa de reprodução inferior a 1 em praticamente todos os cantões

A tendência decrescente em novos casos de contaminação é observada em toda a Suíça, excepto na região do lago Léman, onde tende a haver estagnação. A taxa de reprodução do vírus é inferior a 1 em praticamente todos os cantões, excepto quatro.

A situação é menos tensa ao nível dos cuidados intensivos, com 355 doentes internados, em comparação com 534 no pico da segunda vaga em meados de Novembro. A ocupação de camas atinge 72%. Ainda está acima dos 80% em três cantões.

Fonte: RTS

 

 


Teste Covid-19 para ir a Portugal?

Muitas informações têm circulado nas redes sociais mas, como tem sendo hábito, com muitas informações falsas. Os nossos leitores têm perguntado se é necessário fazer um teste covid para ir a Portugal. Se vens da Suíça, a resposta é não, não precisas de fazer um teste.

Quando é que é necessário fazer um teste?

É necessário fazer um teste se vieres de um país que não faz parte da UE ou do espaço Schengen. E, também não é necessário, se fores a Portugal por razões profissionais, de saúde, de estudo e razões humanitárias.

Aqui abaixo ficam as informações todas retiradas do site da TAP.

"De acordo com disposto pelo Governo Português (cf. Despacho n.º 666-B/2021, de 14 de Janeiro) a entrada em território nacional está apenas autorizada a:

  1. Passageiros de voos de países que integram a União Europeia, dos países associados ao Espaço Schengen (Liechtenstein, Noruega, Islândia e Suíça).
  2. Passageiros de voos de países cuja situação epidemiológica esteja de acordo com a Recomendação (UE) 2020/2169, do Conselho, de 17 de dezembro de 2020.
  3. Passageiros de voos de países que não integram a União Europeia ou que não sejam países associados ao Espaço Schengen, exclusivamente para viagens essenciais, ou seja:
    1. Cidadãos nacionais da União Europeia, nacionais de Estados associados ao Espaço Schengen e membros das respetivas famílias, nos termos da Diretiva 2004/38/CE, do Parlamento e do Conselho, e nacionais de países terceiros com residência legal num Estado-Membro da União Europeia;
    2. Nacionais de países terceiros em viagem por motivos profissionais, de estudo, de reunião familiar, por razões de saúde ou por razões humanitárias.
  4. Passageiros de voos de repatriamento ou humanitários organizados nos termos da lei.
Os passageiros dos voos descritos nas alíneas a) e b) não estão obrigados a apresentação de teste molecular RT-PCR negativo em relação a COVID-19, realizado nas 72 horas que antecedem o voo.

TESTE COVID COM RESULTADO NEGATIVO OBRIGATÓRIO PARA EMBARCAR

Todos os passageiros (incluindo cidadãos portugueses, residentes em Portugal e seus familiares e passageiros em trânsito) dos voos descritos nas alíneas c) e d) devem apresentar antes do embarque, comprovativo de realização de teste laboratorial (RT-PCR) para rastreio da infeção por SARS-CoV -2, com resultado negativo, realizado nas 72 horas anteriores ao momento do embarque, ou ser-lhes-á negado o embarque.

Importante passageiros em trânsito:

Todos os passageiros de voos que não integram a União Europeia ou que não sejam países associados ao Espaço Schengen têm de apresentar teste RT-PCR, com resultado negativo ao Covid-19, incluindo passageiros em trânsito.

Exceções à regra de apresentação obrigatória de teste com resultado negativo antes do embarque:

  • Crianças que não tenham completado 24 meses de idade."

 


Cantões vão acelerar processo de vacinação

O conselheiro federal Alain Berset e os ministros da saúde cantonais discutiram a situação da saúde no sábado de manhã numa sessão online. Um dos principais pontos discutidos foi a necessidade de acelerar a vacinação contra o Covid-19.

Na sua opinião conjunta, as medidas anunciadas esta semana pelo Conselho Federal foram necessárias porque as novas variantes do vírus estão a circular de uma forma preocupante. Assim, tanto o governo federal como os cantões consideram necessário acelerar o ritmo da vacinação com as doses disponíveis, ao mesmo tempo que aumentam o número de testes de rastreio.

A vacina da Moderna vai permitir acelerar o processo

Questionado no telejornal da RTS, Mauro Poggia, Ministro da Saúde de Genebra, falou em particular sobre "pandemia dentro da pandemia com estas novas variantes". A aprovação da vacina de Moderna na Suíça abrirá novas possibilidades para os cantões. Mauro Poggia acredita que isto tornará possível "aumentar gradualmente" a capacidade de vacinação.

Pois, a vacina da Moderna é mais fácil a transportar e guardar do que a da Pfizer.

Dispositivos que variam de cantão para cantão

Os cantões são responsáveis pela implementação da vacinação e os seus sistemas variam consideravelmente. Alguns vacinaram inicialmente lares de idosos e ainda não abriram nenhum centro de vacinação, tal como o Jura. Outros cantões, contudo, já abriram centros de vacinação, tais como Vaud ou Genebra.

A Valais adotou uma estratégia diferente. O cantão ainda não abriu um centro, mas já autorizou os médicos do cantão a vacinarem esta semana. Cerca de 180 médicos estão a realizar a vacinação, mas esta semana apenas metade deles tinha recebido doses para esse efeito. Isto deve ser retificado até segunda-feira, graças à chegada da vacina da Moderna.


O que fecha a partir de segunda-feira na Suíça

Como tem sido hábito as medidas do Conselho Federal nunca são claras no momento do anúncio. Tem-se de esperar algumas horas até ter todas as informações.

Assim, a partir de segunda-feira as lojas e mercados exteriores terão de encerrar

EXCEPTO

  • lojas de produtos alimentares e outras lojas, na medida em que vendam produtos alimentares ou outros produtos de primeira necessidade e bens de consumo corrente, referidos mais abaixo;
  • farmácias, drogarias, e lojas que vendem aparelhos médicos (por exemplo, óculos, aparelhos auditivos);
  • os pontos de venda dos operadores de telecomunicações;
  • oficinas de reparação e manutenção, tais como lavandarias, costureiras, sapatarias, serralharias, bem como oficinas de automóveis e de bicicletas, desde que ofereçam um serviço de reparação;
  • Lojas de bricolage e jardim e lojas de ferragens.
  • Lojas de flores.
  • As estações de serviço.

Comércios e estabelecimentos acessíveis ao público

As empresas e estabelecimentos acessíveis ao público que oferecem serviços, tais como correios, bancos, agências de viagens e cabeleireiros, incluindo os correspondentes serviços self-service, podem estar abertos mas com horário reduzido, ou seja, devem permanecer fechados entre as 19 horas e as 6 horas da manhã e aos domingos;

EXCEPTO

  • Instituições de saúde tais como hospitais, clínicas e consultórios médicos, bem como práticas e estabelecimentos geridos por profissionais de saúde;
  • serviços no domínio social (centros de aconselhamento);
  • administração pública e serviços policiais;
  • os balcões das empresas de transportes públicos;
  • serviços de aluguer de automóveis;
  • máquinas de venda automática que oferecem serviços, em particular distribuidores automáticos:

Os bens de consumo corrente

Os bens de consumo corrente referidos anteriormente estão descritos abaixo.

Produtos alimentares

  • Alimentos I (produtos frescos) tais como carne, peixe, salsichas, produtos lácteos, ovos, fruta e vegetais frescos, pão e pastelaria;
  • Produtos alimentares II (produtos secos), tais como bebidas alcoólicas e não alcoólicas, confeitaria, produtos de tabaco, alimentos enlatados, alimentos amiláceos (farinha, cereais, arroz, macarrão), especiarias, produtos congelados, alimentos para bebés.

Produtos não alimentares

  • Artigos de farmácia, tais como sabonete, produtos de duche, perfumes, desodorizantes, papel higiénico, cremes corporais, produtos de barbear, produtos para o cabelo, produtos de cuidados dentários, artigos para bebés, fraldas, outros produtos cosméticos, produtos de saúde e medicamentos de venda livre, que também podem ser dispensados fora das farmácias.
  • Louça e louça de mesa, incluindo talheres e utensílios de cozinha, recipientes de armazenamento e equipamento de cozinha e conservação, na medida em que possam ser considerados bens de consumo diário em virtude da sua natureza e preço, e velas.
  • Produtos de limpeza e manutenção.
  • Jornais e revistas;
  • Produtos de papelaria;
  • Plantas de interior e flores cortadas;
  • Material fotográfico;
  • Acessórios eletrotécnicos (baterias, etc.);
  • Artigos de malha, roupa interior e vestuário para bebés, na medida em que possam ser considerados como bens de consumo diário, em virtude da sua natureza e preço;
  • Artigos de bricolage e de jardinagem (ferramentas, materiais de construção, sementes, terra, etc.);
  • Alimentos e produtos necessários para a higiene e criação dos animais, bem como animais que devem ser adquiridos para garantir que são mantidos de acordo com as necessidades da espécie.

Ou seja, as lojas que vendem este tipo de produtos podem ficar abertas.

Fonte: Confederação Suíça

 


Encerramento de lojas não essenciais, ajuntamento de mais de 5 pessoas proibidos

O conselho federal anunciou hoje novas medidas para lutar contra o Covid-19 a partir de segunda-feira dia 18 de janeiro de 2021.

Encerramento de lojas não essenciais

As lojas e mercados que não vendem bens de consumo corrente devem fechar. Mas as mercadorias encomendadas ainda podem ser retiradas. Lojas, postos de gasolina e quiosques podem abrir novamente depois das 19 horas e aos domingos.

Teletrabalho obrigatório

Teletrabalho obrigatório sempre que possível sem esforço desproporcionado.

Mascara obrigatória no trabalho

A máscara é obrigatória em todo o lado quando 2 ou mais pessoas se encontram no mesmo local. Já não é suficiente manter uma grande distância entre postos de trabalho.

Direito de trabalhar em casa para pessoas de risco

As pessoas vulneráveis têm agora o direito de trabalhar em casa ou deixar de trabalhar com direito ao subsídio de perda de rendimentos COVID-19.

Ajuntamentos de mais de 5 pessoas proibidos

As reuniões privadas estão limitadas a 5 pessoas, incluindo crianças. Também no espaço público, os ajuntamentos são limitados a 5 pessoas.

Medidas em vigor decididas em dezembro continuam

O Conselho Federal prolonga por cinco semanas as medidas decididas em Dezembro. Isto significa que os restaurantes, instalações culturais e instalações desportivas e de lazer permanecerão fechados até ao final de Fevereiro.

As estações de esqui continuam abertas

As estações de esqui podem continuar abertas por agora, respeitando as medidas em vigor.


Eleições presidenciais 2021 - onde votar?

As eleições presidenciais 2021 estão quase a chegar e com isso o dever de votar no/na futuro/futura presidente de Portugal.

Se estás recenseado na Suíça terás de votar presencialmente na secção consular em que estás inscrito, no dia 23 e dia 24 de janeiro de 2021.

Abaixo ficam respondidas as tuas dúvidas, retiradas da Comissão Nacional das Eleições.

Estou recenseado no estrangeiro. Posso votar?

Sim.

Como voto?

Vota presencialmente.

Posso votar por correspondência?

Não.

Posso votar pela internet? E por sms?

Não. O voto é exercido presencialmente.

Posso passar uma procuração a uma pessoa e pedir que vote em meu nome?

Não. O voto é exercido direta e presencialmente pelo eleitor na assembleia de voto correspondente ao local onde o eleitor está recenseado não sendo admitida nenhuma forma de representação ou delegação.

Em que dias decorre a votação?

No estrangeiro, a votação tem lugar no dia anterior ao marcado para a eleição e no próprio dia da eleição.

Como posso saber o meu local de voto?

Pode conhecer o local de voto através do site da CNE no qual consta a lista das representações diplomáticas onde funcionam as mesas de voto, disponibilizada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Nos dias da votação, em que horário posso votar?

A votação no dia anterior ao marcado para a eleição decorre entre as 8 e as 19 horas (horário local) e no dia da eleição das 8 horas (locais) até à hora limite do exercício do direito de voto em território nacional (20 horas em Lisboa), sem ultrapassar as 19 horas (locais).

Como posso saber o meu número de eleitor?

O número de eleitor foi abolido. Para votar, basta que indique o seu nome ao presidente da mesa e entregue o documento de identificação civil, se o tiver.

Quais os documentos de que preciso para votar?

Deve ser portador do documento de identificação civil ou de qualquer outro documento oficial que contenha a sua fotografia atualizada (Passaporte ou Carta de Condução, etc.).

Como posso saber o nome dos cidadãos que fazem parte das mesas de voto?

Através de consulta de edital:
- Antes do dia da eleição, à porta da comissão recenseadora (representação diplomática), dois dias após a sua designação;
- No dia da eleição, à porta do edifício em que estiver reunida a assembleia de voto (representação diplomática).

Não tenho os meus documentos. Como posso votar?

Pode votar desde que a sua identidade seja reconhecida unanimemente pela mesa ou por dois eleitores devidamente identificados.

O cartão de cidadão serve para votar?

O cartão de cidadão, tal como outro documento oficial que contenha fotografia, serve como documento de identificação perante a mesa.

Como assinalo o meu voto?

Faça uma cruz dentro de um quadrado do boletim de voto correspondente à candidatura concorrente à eleição em que pretende votar, a seguir ao respetivo símbolo.

Posso votar com a minha caneta?

Não. As câmaras de voto têm uma esferográfica à disposição dos eleitores para o exercício do voto.

Se me enganar a pôr a cruz no boletim o que devo fazer?

Assinale, se quiser, todos os quadrados para «esconder» a sua opção, peça outro boletim de voto ao presidente da mesa e devolva-lhe o primeiro. Ele deve escrever “Inutilizado”, rubricá-lo e conservá-lo em separado.

Em que situações posso votar acompanhado?

Só se tiver uma deficiência física notória e impeditiva que o impeça de, sozinho, desenhar a cruz que assinala o sentido do seu voto (invisual, deficiente motor, etc.); a mera dificuldade de o eleitor se deslocar à câmara de voto não deve ser entendida, só por si, como justificando o exercício de voto acompanhado.

Se a mesa não reconhecer a deficiência pode exigir que seja apresentado atestado comprovativo da impossibilidade de praticar os atos de votação.

A CNE entende que é possível utilizar aqueles atestados em atos eleitorais posteriores desde que mencionem o caráter irreversível da doença ou deficiência.

Posso votar com uma matriz em braille?

Sim, em eleições para o Presidente da República, Assembleia da República e Parlamento Europeu.
Para o efeito, pode requerer à mesa uma matriz do boletim de voto em braille, que lhe é entregue sobreposta ao boletim de voto para que o possa ler e expressar o seu voto com uma cruz no recorte do quadrado da lista em que quer votar.
Após votar, a matriz deve ser devolvida à mesa.

A polícia pode estar presente nas assembleias de voto?

Não. Porém, o presidente da mesa pode requisitar a presença de forças de segurança pelo tempo necessário, interrompendo a votação, em caso de tumulto ou de desobediência às suas ordens.

Em que casos pode ser interrompida a votação? E por quanto tempo?

Nas seguintes situações:
Quando não estiverem presentes o presidente da mesa ou o seu suplente ou haja menos de 3 membros;
Quando se verificar qualquer perturbação que impeça o seu funcionamento;
Quando ocorra qualquer tumulto e quando estiver presente qualquer força militar e de segurança.

A interrupção por mais de três horas determina o encerramento da assembleia de voto e a nulidade da votação.

Quem pode reclamar de irregularidades ocorridas no decurso da votação? Como posso fazê-lo?

Qualquer eleitor, delegado, mandatário e candidato pode reclamar ou apresentar protesto por escrito e entregar à mesa de voto. A CNE disponibiliza modelos facultativos, que as mesas devem entregar aos eleitores.

A mesa pode recusar a minha reclamação?

Não. A mesa está obrigada a receber e decidir sobre as reclamações, devendo rubricá-las e apensá-las às atas. A recusa é crime.

Posso revelar o meu sentido de voto?

Não, se estiver no interior da assembleia de voto ou nas suas imediações, salvo no caso de sondagens autorizadas.
Ninguém pode ser, sob qualquer pretexto, obrigado a revelar o sentido do seu voto nem ser perguntado sobre ele por qualquer autoridade,

Os candidatos podem estar presentes nas assembleias de voto?

Sim.
Porém, a sua permanência e intervenção nas assembleias de voto só se justifica na ausência do respetivo delegado.
Em qualquer caso, não podem praticar atos ou contribuir para que outrem os pratique, que constituam, direta ou indiretamente, propaganda à sua candidatura, nem podem entrar nas assembleias de voto acompanhados por comitivas ou apoiantes.

As descargas nos cadernos eleitorais pelos escrutinadores pode ser feita a lápis?

Não. As descargas no caderno eleitoral devem ser feitas com esferográfica/caneta, de modo a não ser possível alterar qualquer registo. No caso de as referidas descargas serem feitas a lápis, o eleitor pode apresentar junto da mesa de voto reclamação, a qual fica anexa à ata.

Quais são os elementos que constam dos boletins de voto?

Dos boletins de voto constam:
- Os nomes dos candidatos e as respetivas fotografias;
- Na linha correspondente a cada candidatura, um quadrado em branco destinado ao voto do eleitor.


Pessoas com mais de 75 podem ser agora vacinadas na Suíça...mas com paciência

As pessoas com mais de 75 podem ser agora vacinadas na Suíça, em alguns cantões.

Doses em falta

Infelizmente, estas pessoas terão de ter paciência pois ainda não há doses suficientes para este grupo prioritário.

Em Genève nesta terça-feira, dezenas de pessoas faziam fila num dos centros de vacinação de Genève. Neste cantão o médico cantonal enviou uma carta às cerca de 40000 pessoas dessa feixa etária para explicar os passos a tomar para serem vacinados.

Responder a um questionário na internet

Um dos voluntários do centro de vacinação explicou à RTS como funciona: "o procedimendo leva 3 a 4 minutos na internet. É necessário responder a um questionário, e depois recebe-se uma SMS com a hora da primeira e segunda consulta."

Cantão de Vaud terá 6 centros de vacinação até ao 25 de janeiro

O cantão de Vaud comunicou a abertura no dia 11 de janeiro de 4 centros de vacinação contra o Covid-19: Lausanne, Morges, Yverdon e Gland. Dois outros centros abrirão em Payerne e Rennaz no dia 25 de janeiro. Este começou a campanha de vacinação nos lares de idosos no dia 30 de dezemebro. Depois da abertura dos centros, o segundo grupo de risco, pessoas com mais de 75 anos que não se encontram numa instituição, serão vacinadas.

Para tomar a vacina num dos centros, os "Vaudois" podem inscrever-se no site para o efeito: www.coronavax.ch. Uma avaliação será feita online para determinar se fazem parte do grupo prioritário. Se for o caso, uma consulta será marcada num dos centros.

E no teu cantão?

Para saberes onde e quando podes ser vacinado, verifica as informações online no site do teu cantão de residência. Nesta página - https://www.ch.ch/fr/coronavirus/ - encontras um mapa com todos os cantões. Ao clicares no teu serás redirecionado para a página de informações do teu cantão. Obviamente, estamos sempre à tua disposição se tiveres dúvidas.