O salário médio na Suíça por sector de atividade

O instituto federal de estatística suíço faz, a cada dois anos, um estudo para a estrutura dos salários no país. Cerca de 90% das empresas participam neste estudo, de forma que os resultados se aproximam bastante da realidade.

 

Salário bruto mensal por sector económico,”OFS – l’enquête suisse sur la structure des salaires en 2016″

Legenda:

 

  • I – Alojamento e restauração;
  • N – Atividades de serviços administrativos;
  • G – Comércio grossista, comércio e reparações automóveis;
  • C – Indústria manufatureira;
  • S – Outras atividades de serviço;
  • R – Artes, espetáculos e atividades recreativas;
  • H – Transporte e armazenagem;
  • F – Construção;
  • E – Produção e distribuição de água, gestão de resíduos;
  • Q – Saúde humana e ação social;
  • L – Atividades imobiliárias;
  • M – Atividades especializadas, científicas e técnicas;
  • J – Informação e comunicação;
  • O – Administração pública, defesa; segurança social;
  • D – Produção e distribuição de energia;
  • K – Atividades financeiras e de seguros;
  • P – Ensino;


O salário na Suíça

O valor do salário na Suíça é, sem dúvida, um dos maiores motivadores para aqui se procurar emprego. No entanto, há que ter em consideração que nos chega muita informação errónea e mal interpretada. Sim, na Suíça possui-se um poder de compra incomparável com Portugal. Sim, na Suíça, geralmente, ganha-se muito mais do que em Portugal. Mas também o custo de vida na Suíça é, na maioria dos aspetos, muito mais elevado. Portanto, não te deixes apelar apenas por quem te diz que “na Suíça ganhas três vezes mais do que em Portugal”. Essa não é uma verdade absoluta, pois depende de muitos fatores.

Depois de teres lido todas as rubricas de “procurar trabalho” e ter sido finalmente chamado para entrevista, uma das questões que provavelmente vai surgir na tua cabeça é o montante do salário que queres auferir. Ao contrário de Portugal, não existe salário mínimo na Suíça. No entanto, vários ramos têm um salário mínimo estipulado.

O salário médio anual bruto na Suíça é de 78000 Francos suíços (cerca de 70000 euros). Em Portugal, o salário médio anual é, atualmente, de 18343 euros. A nível europeu, os países nórdicos, Reino-Unido e Luxemburgo têm salários médios idênticos à Suíça.

 

Salário bruto anual em euros – Fonte Eurostat 2014.

 


Candidatura de emprego na Suíça por correio ou por internet?

Não sabes se na Suíça tens de enviar por correio ou por mail a tua candidatura de emprego? Ficam aqui respondidas as tuas perguntas.

Apesar de vivermos numa sociedade cada vez mais ligada à internet, em muitas situações ainda te poderão pedir uma candidatura por meio de correio tradicional. Abaixo ficam as  diferenças para os dossiers de candidatura a entregar, se os enviares por e-mail ou por correio.

Candidatura por e-mail

As candidaturas através da internet são candidaturas leves e necessitam de menos informação que uma enviada por correio. Um CV e uma carta de motivação são suficientes para o envio do dossier. Atenção, os anúncios da internet podem ainda requisitar expressamente outros documentos a juntar à candidatura.

No envio dos documentos, é importante que estes se apresentem em formato PDF. Inclusive, alguns sites de busca têm a opção de enviar os documentos diretamente através do site, e, regra geral, requerem o formato PDF.

Candidatura por correio

As candidaturas por correio tradicional contêm vários documentos além do CV e da carta de motivação. Eis os documentos que tens de juntar à tua candidatura por correio:

  • Certificados de empregos anteriores;
  • Diplomas e certificados de formação que sejam pertinentes para a função a que te candidatas;
  • Outros documentos que julgas importante acrescentar, como, por exemplo, artigos científicos que tenhas publicado.

No que diz respeito aos diplomas e certificados, não é necessário enviar os originais, sendo uma cópia suficiente. Se fores chamado para entrevista, poderás então mostrar os diplomas e certificados originais.

Aqui na Suíça, a organização é muito importante. Portanto, é essencial que o teu dossier de candidatura revele qualidade, boa organização e legibilidade.

 


Avaliação de habilidades

Antes de te lançares na tua procura de emprego na Suíça, é importante avaliares as tuas habilidades. Recebo comentários de várias pessoas, afirmando que a sua motivação para vir para a Suíça se resume ao único propósito de “vir para a Suíça”, sem adicionar qualquer tipo de requisito sobre o trabalho que procuram. No entanto, se te apresentares às empresas de recrutamento com uma atitude do género, “quero trabalhar na Suíça em qualquer posto”, não irás a lado nenhum. O melhor a fazer é começar por avaliar todos os trabalhos que já ocupaste e onde poderias representar uma mais-valia. Outro ponto igualmente importante, é saber responder à pergunta que, certamente, todos os recrutadores te vão perguntar: “porque é que decidiu procurar emprego na Suíça?”

A maturidade do mercado de trabalho Suíço

O mercado de trabalho suíço é bastante maduro, significando que, em muitos casos, os recrutadores vão procurar, para um determinado posto, alguém que já tenha experiência no seu país de origem. Por isso, antes de começares a procurar o primeiro trabalho, é importante teres experiência no teu atual país de residência. Como é óbvio, existem muitos casos em que tal não se aplica. Não deixa de ser viável a procura de emprego através de familiares ou amigos residentes na Suíça, capazes de ajudar através de cunhas.


A documentação de base para preencher a declaração de impostos

Existem várias formas de preencher a declaração de impostos. Uma delas é entregar todos os documentos necessários a um contabilista, para que ele trate disso por nós, geralmente a troco de 120 francos. Mas será que é mesmo necessário recorrer a um contabilista para declarar os impostos? A resposta é não. Aqui vou explicar passo a passo como preencher a declaração de impostos.

Ainda que, claro, cada cantão tenha um formulário próprio, o método de preenchimento é muito parecido para qualquer um deles. Além disso, hoje em dia, os cantões já disponibilizam estruturas online que permitem preencher esta declaração com mínima dificuldade.

Proceder de forma metódica

A estratégia mais eficaz para preencher a declaração de impostos é assumir uma postura metódica. Para começar, é necessário recolher toda a documentação base. Estes documentos são:
  • Certificado de salário, se exerceres uma atividade lucrativa dependente, ou seja, empregado. Se receberes salário por outras atividades além do emprego principal, também deverás juntar os determinados certificados;
  • Justificativos de ganhos isentos de impostos;
  • Contas da tua atividade independente, assinadas ou atestadas por um contabilista;
  • Extratos bancários de todas as contas. Geralmente, estes documentos são fornecidos pelo banco no final do ano. Se, por acaso, não os tiveres recebido, é provável que os encontres na tua conta de e-banking;
  • Extratos bancários relativos às dívidas, tanto como os empréstimos ao banco, como os juros pagos ao banco;
  • Justificativos das taxas de desempenho de valores mobiliários (ações, fundos de investimentos, obrigações, etc.)
  • Justificativos de gastos relacionados com o aperfeiçoamento profissional ou reconversão profissional;
  • Justificativos de ganhos em jogos de azar, se forem superiores a 1000 francos. Os recibos destes têm de ser os originais;
  • Recibos de taxas de administração de valores mobiliários ou investimentos de capital;
  • Justificativos com os valores dos "prémios" pagos aos seguros. Podem ser os seguros de saúde, invalidade, de acidente, ou de vida, possivelmente deduzidos do rendimento, até uma determinada quantia.
  • Certificados para as rendas e pensões (AVS/AI, etc) e indemnizações de perdas de rendimentos (acidentes, desemprego, doenças, serviço militar, entre outros);
  • Certificados dos tarifários de casas de repouso;
  • Certificados para a cotização de formas reconhecidas de pensões, como, por exemplo, o terceiro pilar, e que são comunicados pelas instituições de pensões;
  • Justificativos para a compra de pensões profissionais;
  • Certificados dos valores de recompra de seguros de vida e pensões;
  • Justificativos de doações efetuadas durante um ano fiscal de referência, ou de contribuições feitas a partidos políticos;
  • Justificativos de pensões alimentares recebidas ou enviadas;
  • Justificativos de propriedades imobiliárias fora do cantão de domicílio e no estrangeiro;
  • Justificativos que permitem a redução de algumas despesas a proprietários de apartamentos ou prédios, como, por exemplo, os seguros dos prédios, as contribuições ao condomínio e as taxas imobiliárias;
  • Justificativos de trabalhos de remodelação;
  • Faturas de rendimentos de aluguer;
  • Faturas de despesas de baby-sitting ou creches;
  • Justificativos de despesas de saúde.

Ainda que tenha elaborado uma vasta lista, podem não constar aqui certos documentos necessários para o teu caso particular, já que estes dependem do que é pedido por cada administração cantonal. Permanece uma lista bastante completa, que podes usar como lembrete para preencher a declaração de impostos.


Taxa federal de isenção de servir

Se acabaste de chegar à Suíça, ou se estás a pensar vir viver para a Suíça, este imposto não é de grande importância. Mas poderá vir a ser, se um dia pedires a nacionalidade suíça.

Na Suíça, o serviço militar é obrigatório. No entanto, é possível não o fazer, através do pagamento de uma taxa. As pessoas sujeitas à taxa são as seguintes:

  • Quem não esteve, durante mais de 6 meses, incorporado numa formação do exército e não está vinculada ao serviço civil;
  • Quem não realiza serviço militar ou serviço civil como homem em serviço;

Em quanto tempo deve ser paga a taxa?

O pagamento da taxa começa, no mínimo, quando o homem visado atinge os 19 anos, e acaba, o mais tardar, quando o homem atinge os 37 anos de idade.

Pessoas inaptas ao serviço militar também têm de pagar?

Sim, as pessoas inaptas ao serviço militar também têm de pagar, mas numa quantidade máxima de 11 taxas de isenção.

Qual é o valor da taxa?

A taxa é obtida através do imposto federal direto e equivale a 3% dos rendimentos submetidos aos impostos, tendo um valor mínimo de 400 francos. Existem algumas possibilidades para reduzir a quantia da taxa para homens que tenham feito alguns dias de serviço militar e serviço civil.

 


Imposto federal antecipado

O imposto federal antecipado é um imposto obtido no momento em que é feita a transação, pela Confederação, sobre capitais mobiliários, principalmente sobre juros e dividendos, sobre ganhos em lotarias suíças, assim como sobre certas prestações de seguros. Foi um imposto criado para evitar a fraude fiscal.

O imposto federal antecipado tem carácter real e não considera a capacidade financeira do beneficiário. A taxa de imposto é de:

  • 35% para os rendimentos de capitais mobiliários e de ganhos em lotarias;
  • 15% sobre as pensões e anuidades de vida;
  • 8% por outras prestações de seguros

Reembolso do imposto

Este imposto pode ser reembolsado em certas condições para:

  • Pessoas físicas domiciliadas na Suíça, com condição de declarar regularmente os rendimentos e os capitais produzidos pelo imposto antecipado, para os impostos cantonais e municipais.
  • Pessoas morais com sede na Suíça, com condição de contabilizar regularmente os rendimentos dos benefícios produzidos pelo imposto antecipado.

O beneficiário deve apresentar um pedido de reembolso do imposto antecipado até 3 anos após ter caducado a prestação imposta.


O IVA na Suíça

Em Portugal, o IVA sobe até aos 23%. Na Suiça, não é o caso. As taxas de IVA são bastante reduzidas.

  • TVA Normal - 7.7%

O imposto normal é utilizado para a maioria dos bens e prestações de serviço, como carros, relógios, roupa, álcool, etc.

  • TVA Especial - 3.7%

O imposto especial funciona para a hotelaria. As noites de hotel são acompanhadas de uma taxa de IVA de 3,7%.

  • TVA Reduzido

O IVA reduzido é utilizado para alguns bens do quotidiano, como alimentos, bebidas sem álcool, livros, jornais, revistas e medicamentos.

 


Impostos diretos e indiretos

Existem dois tipos de impostos que são retirados pela Confederação, pelos cantões e pelos municípios: os impostos diretos e os indiretos. Os impostos diretos referem-se aos rendimentos, benefícios e fortuna dos contribuintes. Os impostos indiretos são aqueles aplicados ao consumo, posse e/ou despesa.

Impostos diretos

Inspostos indiretos - Confederação

Impostos indiretos - Cantões e municípios

  • Impostos sobre veículos a motor;
  • Impostos sobre cães;
  • Impostos sobre divertimentos;
  • Impostos sobre jogos de azar;
  • Impostos das forças hidráulicas (unicamente no cantão do Valais);
  • Impostos sobre o direito de selos cantonais;
  • Taxas turísticas (alguns cantões);

Para a Confederação Suíça, 40% das receitas fiscais são obtidas através dos impostos diretos. Do lado cantonal e comunal, as receitas fiscais diretas correspondem a 70% das receitas globais.


Carga fiscal

A carga fiscal corresponde ao valor retirado da receita bruta de trabalho como imposto, pelos cantões, municípios, Confederação e, em alguns casos, pela igreja.

 

A carga fiscal varia de cantão para cantão, assim como de município para município. Abaixo apresento gráficos de interesse, retirados da Administração federal das contribuições, para avaliarmos.

 

Carga fiscal, em 2017, para uma pessoal solteira, sem filhos, com um salário bruto de 80’000 francos

 

 

Neste gráfico, verifica-se a clara diferença de carga fiscal entre os municípios. Por exemplo, uma pessoa que reside na região de Neuchâtel (zona vermelha, a oeste), paga, de carca fiscal, cerca de 18% do seu salário bruto. Já no caso de uma pessoa que vive no cantão do Ticino, local da Suíça onde a língua falada é o italiano (parte verde, a sul), paga entre 10.31% e 14.19 % do seu salário bruto.

 

Carga fiscal, em 2017, para uma pessoa casada, sem filhos, com um salário bruto de 80’000 francos

 

Comparando este gráfico com o anterior, podemos verificar a diferença de impostos de acordo com o estado civil de um indivíduo. Uma pessoa casada paga, geralmente, menos impostos sobre o seu salário do que uma pessoa solteira.

 

Carga fiscal, em 2017, para um casal, com um único salário, dois filhos e um salário bruto de 80’000 francos

Carga fiscal, em 2017, para um casal, com dois salários, dois filhos e um salário total bruto de 80’000 francos

 

Carga fiscal, em 2017, para um casal, com dois salários, dois filhos e um salário bruto de 125’000 francos

 

Comparando este gráfico com o primeiro, verifica-se um exponencial aumento de impostos em todos os municípios, consoante o acréscimo do salário bruto.

Estes gráficos deixam evidente que existe uma grande diferença de impostos dependendo do município onde se reside. Portanto, se quiseres poupar nos impostos, um dos primeiros aspetos a ter em conta é a escolha de um município com uma baixa carga fiscal.