Mascaras obrigatórias na escola? Poderá vir a ser uma realidade em Luzern

No início do ano escolar, em agosto, as mascaras poderão vir a ser obrigatórios nas escolhas secundárias e profissionais do cantão de Luzern.

Não só durante as aulas

As autoridades do cantão estão a estudar a possibilidade e generalizar esta prática tanto para alunos e professores, tanto nas salas de aula como fora destas. Isto, claro, se a distância de segurança de 1.5 metros não for possível de respeitar. A decisão final do cantão será tomada no início de agosto.

Se a distância de 1.5 metros conseguir ser respeitada nas salas de aula, o uso de mascara não será obrigatório.

Os alunos terão de levar as suas mascaras, ou seja, pagar por estas, enquanto que os professores terão mascaras fornecidas pela escola.

Os cantões de Zürich e St-Gallen também estão a estudar a possibilidade

Segundo a SRF, outros cantões também estão a estudar a possibilidade de obrigar o uso de mascara nas escolas, tal como o cantão de Zürich e o de St-Gallen.

Fonte: RTS/SRF

Para ajudares no desenvolvimento do site Emigrar para a Suíça, segue as páginas no Facebook e Instagram, e regista-te na nossa newsletter abaixo! Obrigado!


Suíça mantém-se nas 100 infeções diárias

A Suíça continua estável nos novos números de casos diários de Covid-19. Neste sábado o Escritório Federal de Saúde Pública (BAG/OFSP) anunciou 108 novos casos de Covid-19 na Suíça,nas últimas 24horas. Não houve mortes nesta nova contagem.

Estável, por volta de 100 casos diários

O novo número de casos continua estável. Há cerca de uma semana que estes se situam por volta dos 100 casos diários. Ontem, a OFSP anunciou 104 casos. Desde o início da crise, a Suíça registou 32798 casos e 1686 mortes.

A última fatalidade causada pelo Covid-19 na Suíça ocorreu a mais de uma semana.

Uma única nova hospitalização

Hoje foi anunciada mais uma hospitalização, sendo a 13° numa semana. Desde o início da pandemia foram realizados 678 679 testes sendo que 5.8% deram positivo. Nas últimas 24 horas foram realizados 8195 testes.

Na Suíça encontram-se atualmente 640 pessoas em isolamento e 2586 em quarentena.

Para ajudares no desenvolvimento do site Emigrar para a Suíça, segue as páginas no Facebook e Instagram, e regista-te na nossa newsletter abaixo! Obrigado!

 


As dificuldades dos cantões em controlar as quarentenas

De forma a controlar as quarentenas, os cantões criaram equipas que têm por objetivo rastrear os contactos de Covid-19 nos seus cantões. Estas equipas gerem as quarentenas e os isolamentos das pessoas.

Aumento de pessoal nas equpas Covid-19

De forma a conseguirem traçar os contactos, alguns cantões já estão a pensar aumentar o tamanho das equipas dedicadas a estas funções. Atualmente, na parte francófona da Suíça, encontram-se cerca de 1300 pessoas em quarentena e 220 isoladas devido ao Covid-19.

O cantão de Valais tem atualmente cerca de 12 pessoas na equipa especial Covid-19, Neuchâtel 18, Genève e Fribourg 25 e, no cantão de Vaud, somente 7 pessoas.

Contactos telefónicos

O trabalho destas equipas, formadas por médicos, pessoal administrativo, estudantes na área da medicina, consiste principalmente em contactar as pessoas testadas positivas ao Covid-19. Estas equipas tentam verficar todos os contactos que essa pessoa teve nas últimas 48 horas. Sophie Chevrey-Schaller, assistente do chefe do departamento de saúde pública do Cantão do Jura explicou o procedimento à RTS. "Avaliamos todas as pessoas que tiveram contato a menos de 1.5 metros, pelo menos 15 minutos seguidos. Estas pessoas são colocadas em quarentena".

As pessoas que ficam em isolamento, são depois contactadas várias vezes por este serviço. O número de vezes varia de cantão para cantão. Por exemplo, no cantão do Jura, contactam a cada dois dias, enquanto que no cantão do Valais, este contacto é efetuado unicamente 3 vezes. Estes contactos são para verficar o estado de saúde das pessoas, tanto as que se encontram em isolamento como as que estão em quarentena.

Denúncias e relutância das pessoas contactadas

A substituta do médico cantonal do Valais, Delphine Berthod, observou relutância das pessoas contactadas, para o processo de rastreamento. "Muitas vezes, os indivíduos contactados não querem compartilhar a lista de pessoas com quem estiveram em contacto próximo". Para Delphine Berthod, esta desconfiança é contraproducente "Eles pensam, provavelmente, que estão a proteger os outros mas é o contrário. Sem contar que esta forma de atuar impede que a cadeia de transmissão seja interrompida".

Os cantões podem recorrer à justiça

Se as regras de quarentena não forem respeitadas, os cantões Suíços podem recorrer à justiça. Os cantões do Valais e Fribourg já tiveram de proceder a advertências, do lado do Jura, o cantão já conta com duas denúncias criminais. Este último já está a pensar solicitar mais policiamento. "Poderemos ativar cada vez mais polícia para se deslocar aos domícilios das pessoas nas quais temos dúvidas sobre o respeito da quarentena", relatou Sophi Chevrey-Schaller.

Apesar dos cantões assegurarem que a situação está controlada, a preocupação permanece.

Fonte: RTS.ch

Para ajudares no desenvolvimento do site Emigrar para a Suíça, segue as páginas no Facebook e Instagram, e regista-te na nossa newsletter abaixo! Obrigado!

 


Quarentena - Perguntas e respostas

Nos últimos dias surgiram muitas dúvidas relativamente à quarentena imposta na Suíça, para alguns países. Aqui fica as perguntas e respostas retiradas diretamente do Escritório Federal da Saúde Pública (OFSP).

Quais viajantes são afetados pela quarentena?

Todas as pessoas que entram na Suíça a partir de um estado ou território com alto risco de infeção devem ficar em quarentena ao chegar na Suíça. A lista de estados ou territórios com alto risco de infeção pode ser encontrada nas medidas da COVID-19 no transporte internacional de pessoas. Esta lista é atualizada regularmente pela Confederação. (Podem ver a lista aqui)

Como ocorre a entrada na Suíça?

A forma de entrar de um país ou território com alto risco de infeção não é muito diferente da entrada por outro país que não esteja na lista. No avião ou autocarro, os passageiros são informados que à chegada à Suíça terão ficar em quarentena. Os dados e informações dos passageiros são guardados para garantir a rastreabilidade se um dos passageiros estiver infetado. Os dados fornecidos também podem ser usados ​​para verificar se a quarentena é respeitada.  Outras medidas e procedimentos serão efetuados continuamente com todos os parceiros.

Em que critérios é estabelecida a lista de estados ou territórios com alto risco de infeção?

Existe um alto risco de infeção pelo novo coronavírus quando se verifica pelo menos uma das seguintes condições:

  • O estado ou território em questão tem mais de 60 novas infeções por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias.
  • As informações disponíveis do estado ou território relevante não permitem uma avaliação confiável da situação e há indicações de que o risco de infeção no país ou território é alto.
  • Verificou-se repetidamente durante um período de quatro semanas que pessoas infetadas entraram na Suíça depois de terem estado num território de risco.

A quarentena é obrigatória para as pessoas que entram na Suíça? Quem controla o respeito da medida?

A quarentena para viajantes que entram na Suíça a partir de um estado ou território com alto risco de infeção é obrigatória. Não é apenas uma recomendação.

No início da quarentena, qualquer pessoa que tem de ficar em quarentena comunica a sua entrada na Suíça às autoridades cantonais competentes, até dois dias depois da sua chegada e segue as instruções dadas pelas autoridades.

As autoridades cantonais são responsáveis ​​para controlar que as medidas de quarentena são respeitadas. Um apoio prestado pela Confederação aos cantões está a ser estudado.

Porque é que se tem de entrar em contato com as autoridades cantonais no início da quarentena?

As autoridades cantonais são responsáveis ​​pelo cumprimento das medidas de quarentena e são competentes para fornecer às pessoas em quarentena o suporte e as informações de que precisam.

Existem penalidades pelo não cumprimento da quarentena?

Qualquer pessoa que foge da quarentena comete uma infração, art, 83 da lei sobre as epidemias, punível com multa de até 10.000 francos (al. 1, letra h) ou até 5.000 francos em caso de negligência. Os cantões são responsáveis ​​pela instauração dos processos crime

As crianças também devem ficar em quarentena?

Sim. As crianças que chegam à Suíça de um estado ou território com alto risco de infeção também devem ser colocadas em quarentena. De preferência, apenas um dos pais deve cuidar da criança, por exemplo, se a criança voltar sozinha de uma viagem. Os pais que tomam conta de filhos em quarentena também estão automaticamente em quarentena.

Existem pessoas isentas da exigência de quarentena?

Algumas pessoas podem estar isentas de quarentena. As exceções são descritas na medida de medidas COVID-19 no transporte internacional de pessoas (cf. Art. 4). Isso inclui, por exemplo, pessoas que ocupam posições essenciais de saúde ou segurança.

As pessoas em quarentena têm direito a indemnização pela interrupção de sua atividade profissional?

Em caso de quarentena, no art. 2 da ordem de 2 de julho de 2020 COVID-19 medidas no transporte internacional de pessoas, não há direito a nenhum subsídio ou indemnização.

No entanto, em alguns casos, um empregador que envia o seu funcionário para uma área de risco pode ter que pagar seu salário. O pagamento dos salários pode ser baseado no art. 324 ou 324a CO. A quarentena é geralmente considerada do ponto de vista legal como um impedimento para o trabalho e esse impedimento deve ser uma falha para qualquer compensação. A decisão é tomada caso a caso.

Um trabalhador que vai para uma zona de risco pode ser acusado de falha se ficar em quarentena no seu retorno. Razões pessoais imperativas poderiam justificar a viagem (visita a um ente querido muito doente, por exemplo). Se o trabalho puder ser feito em casa e o empregador disponibilizar toda a infraestrutura necessária para o teletrabalho, não haverá impedimento para o trabalho.

Os trabalhadores que partiram para regiões que não estavam em risco no momento da partida não são a priori culpados. Como esta é uma pandemia que afeta o mundo inteiro, incluindo a Suíça, as outras regiões do mundo são a priori não mais arriscadas do que vários locais da Suíça. Esses casos deverão ser examinados pelos tribunais, se necessário.

Um trabalhador que conscientemente vai a uma área notoriamente arriscada pode ser acusado de uma falha.

Atualmente, no dia 7 de julho de 2020, Portugal não é considerado um local de risco pelas autoridades Suíças. Desta forma, caso o país venha a ser posto na lista de risco, depois de partir de viagem, o empregado não poderá, à priori, ser acusado de uma falha.

Durante a quarentena, é permitido sair de vez em quando para passear, tomar ar fresco ou fazer recados?

Não. O objetivo da quarentena é de interromper as cadeias de transmissão. Qualquer contato físico com outras pessoas deve ser evitado. Isso não significa, no entanto, que o contato social seja proibido. Contatos por telefone ou Skype são permitidos.

O que fazer se sintomas aparecerem durante a quarentena?

Em caso de sintomas da doença, é importante informar imediatamente as autoridades cantonais competentes. Eles decidirão sobre o procedimento a seguir, por exemplo, para fazer um teste.

E se eu tiver que ficar em quarentena e não tiver para onde ir?

Todos que entram na Suíça para uma estadia têm sítio para ficar. Um hotel ou alojamento de férias também é, em princípio, considerado adequado para quarentena.

Qual a diferença entre quarentena e isolamento?

Isolamento significa que as pessoas que estão doentes com o novo coronavírus devem evitar o contato com outras pessoas.

A quarentena refere-se a pessoas que estiveram em contato próximo com uma pessoa doente com o novo coronavírus ou que entraram na Suíça a partir de um estado ou território com alto risco de infeção e, portanto, presumidamente doentes ou presumivelmente infetados. Após discussão com o serviço cantonal competente, eles não devem ter contato com outras pessoas. Isso impede de infectar outras pessoas sem saber e, desta forma as cadeias de transmissão são interrompidas.

14. Qual é a diferença entre a lista de países publicada pela Secretaria de Estado de Migração e a publicada nesta novas medidas?

A Secretaria de Estado de Migração (SEM) publica a lista de países dos quais a entrada na Suíça é geralmente proibida, com exceções.
O OFSP mantém uma "lista de quarentena": devido à evolução epidemiológica nos países que lá aparecem, é solicitada uma quarentena para os viajantes provenientes desses países.

Se tiveres mais alguma questão, não hesites em contactar-me por e-mail: info@emigrar.ch

Para ajudares no desenvolvimento do site Emigrar para a Suíça, segue as páginas no Facebook e Instagram, e regista-te na nossa newsletter abaixo! Obrigado!


Ligeiro recuo das contaminações na Suíça

Nos últimos dias tivemos um número superior de contaminações comparando com o mês de junho, o que levou o Conselho Federal a adotar novas medidas a partir de amanhã.

70 novos casos nas últimas 24 horas

Neste domingo de manhã, o Escritório Federal de Saúde Pública (OFSP) anunciou 70 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas na Suíça. No sábado a OFSP anunciou 97 casos, e 134 na sexta-feira. No mês de junho, a média era de cerca de 28 casos diários.

Apesar dos números menos animadores, não houve nenhuma morte relacionada com o Covid-19 neste fim-de-semana e somente duas novas hospitalizações. Nestes dois dias foram efetuados 18 000 testes.

Desde o início da pandemia, a Suíça e o Liechtenstein anunciaram 32 268 casos.

"Temos muita liberdade. Mas o vírus ainda está cá."

A presidente da Confederação, Simonetta Sommaruga referiu que a Suíça ainda não encontrou um bom equilíbrio entre o desconfinamento e prudência. "Temos muita liberdade na situação atual. Mas o vírus ainda está cá", referiu a presidente numa entrevista ao jornal SonntagsBlick.

Segundo Simonneta Sommaruga, a Suíça fez muitas coisas boas durante a crise. No entanto, admite que a obrigação do uso de mascara nos transportes públicos poderia ter sido feita mais cedo. "Queríamos ver como a situação ia evoluir e intervimos onde era necessário".

A partir de amanhã, mascara obrigatória nos transportes públicos

Tal como anunciado na última quarta-feira, a partir de amanhã será obrigatório o uso de mascara em todos os transportes públicos, para pessoas com mais de 12 anos.

Outros cantões já impuseram novas restrições, tal como o cantão de Vaud e o cantão do Jura, onde as mascaras serão obrigatórias em todas as lojas que acolhem mais de 10 pessoas.

Falta de coordenação entre cantões e Confederação

O chefe do grupo de trabalho da Confederação, Matthias Egger, queixou-se da falta de coordenação entre os cantões e a Confederação na entrada de dados de novos casos de Covid-19. Para este "os números indicam uma tendência de 200 novos casos por dia na próxima semanas, e 400 na seguinte".

Para ajudares no desenvolvimento do site Emigrar para a Suíça, segue as páginas no Facebook e Instagram, e regista-te na nossa newsletter abaixo! Obrigado!


Português terceira língua mais falada no cantão do Valais

A Suíça conta 4 línguas oficiais, alemão, francês, italiano e romanche mas, a terceira língua mais falada no cantão do Valais, no meio dos Alpes, é o português.

8% da população fala português

O cantão do Valais tem duas línguas oficiais, o francês e alemão. Apesar da sua proximidade com o Ticino e sendo um dos cantões vizinhos de Itália, o italiano foi ultrapassada pela língua portuguesa.

Em 2018, 67% da população do Valais fala francês, 25% alemão ou suíço alemão e 8% português. Ou seja, 23000 pessoas em 344 000 residentes no Valais falam português.

Na parte francesa do Valais, o português é a segunda língua mais falada

Na parte francesa do cantão dos Alpes, a língua portuguesa é a segunda língua mais falada. Somente 4.8% da população fala alemão nessa região, enquanto que 9.4% da população fala português.

Para ajudares no desenvolvimento do site Emigrar para a Suíça, segue as páginas no Facebook e Instagram, e regista-te na nossa newsletter abaixo! Obrigado!

 


Lista de países de risco - quarentena na Suíça

Depois do anúncio feito ontem pelo Conselho Federal, ficámos agora a saber a lista de países de risco. Se vieres para a Suíça por um destes países, ou tiveste num desses países nos últimos 14 dias, terás de ficar em quarentena.

Lista de países

África do Sul
Arábia Saudita
Argentina
Armênia
Azerbaijão
Barém
Bielorrússia
Bolívia
Brasil
Cabo Verde
Chile
Colômbia
Estados Unidos
Honduras
Iraque
Israel
Kosovo
Kuwait
Moldávia
Macedónia do Norte
Omã
Panamá
Peru
Catar
República Dominicana
Rússia
Saara Ocidental
Sérvia
Suécia
Ilhas Turcas e Caicos

Como é que a Suíça define os países de risco?

Segundo a Confederação, os países de risco são aqueles em que pelo menos uma das seguintes condições são preenchidas:

  • Estado ou área que conta mais de 60 infeções por 100 000 pessoas nos últimos 14 dias;
  • As informações disponíveis desses Estados ou áreas não permitem estimar a situação de forma fidedigna e indícios deixam supor que o risco de infeção nessas zonas é elevado;
  • Por diversas vezes, durante as últimas 4 semanas, pessoas infetadas entraram na Suíça depois de ter estado numa dessas zonas de risco.

Quando é que a lista é atualizada?

Ao contrário do que foi dito ontem, a lista é atualizada em permanência pelo Departamento Federal do interior, depois de consultar os Departamento da justiça e polícia, finanças e dos negócios estrangeiros.

Quem está isento da quarentena?

Estão isentos da quarentena os indivíduos:

  •   transportam profissionalmente viajantes ou mercadorias através da fronteira por estrada, comboio, barco ou avião;
  •   cuja atividade é absolutamente necessária para a manutenção:
    • das capacidades do sistema de saúde
    • da segurança e ordem pública,
    • do funcionamento dos beneficiários institucionais.
  • que, no âmbito de sua atividade profissional em empresas de transporte ferroviário, autocarros, barco ou avião, transportam passageiros atravessando a fronteira e que, por esse motivo, estiveram num Estado ou área apresentando uma alto risco de infeção;
  • que, por razões profissionais ou médicas imprescindíveis, sem possibilidade de adiamento, entrar na Suíça diariamente ou no máximo 5 dias; e que permaneceram num estado ou área com alto risco de infeção por menos de 24 horas como passageiro em trânsito;
  • que só entram na Suíça para atravessar, com a intenção e a possibilidade de continuar a sua viagem diretamente para outro país.

As pessoas que têm de fazer quarentena têm de se apresentar às autoridades

Todas as pessoas obrigadas a estarem em quarentena têm de comunicar a sua entrada na Suíça as autoridades cantonais competentes, num prazo máximo de dois dias, e seguir as instruções.

Para ajudares no desenvolvimento do site Emigrar para a Suíça, segue as páginas no Facebook e Instagram, e regista-te na nossa newsletter abaixo! Obrigado!


Mascaras obrigatórias em transportes e quarentena obrigatória para alguns países

O Conselho Federal Suíço decidiu adotar diversas medidas de forma a evitar uma nova propagação do Covid-19, como a mascara obrigatória nos transportes públicos. Estas medidas são adotadas pelo crescimento dos casos diários. Nas últimas 24horas foram detetados 137 novos casos de Covid-19 na Suíça.

Mascara obrigatória nos transportes públicos

Devido à subida de passageiros nos transportes públicos e do aumentos dos casos desde meados de junho, o Conselho Federal decidiu obrigar o uso de mascara nos transportes públicos. Esta medida será imposta na segunda-feira dia 6 de julho, em toda a Suíça.

Pelo facto das distâncias de segurança não serem respeitadas e pelos passageiros não usarem na maioria máscaras, apesar de ser vivamente recomendado, o Conselho Federal decidiu tomar as rédeas.

Não haverá multas

Apesar de ser obrigatório, quem não usar mascara não será multado. No entanto, terá de sair na paragem seguinte.

Quarentena obrigatória de 10 dias para pessoas provenientes de alguns países

A partir de segunda-feira, pessoas provenientes de certos países terão de ficar de quarentena durante 10 dias. O Escritório Federal de Saúde Pública irá publicar uma lista de países até segunda-feira.

A lista de países será atualizada uma vez por mês. Segundo o Conselheiro Federal Alain Berset, a Suécia estará certamente na lista, tal como a Sérvia. No entanto, não deu indicações para pessoas provenientes de Portugal. Por isso teremos de aguardar para saber se, ao regressar de Portugal, será necessário fazer a quarentena de 10 dias.

As pessoas provenientes dos países de risco serão informados nas fronteiras, aviões e autocarros da quarentena obrigatória.

Para ajudares no desenvolvimento do site Emigrar para a Suíça, segue as páginas no Facebook e Instagram, e regista-te na nossa newsletter abaixo! Obrigado!

 


Testes grátis para todos - COVID19

Os testes de Covid19 são agora grátis para todos, tanto os testes de despistagem assim como os testes sorológicos. Esta anúncio foi feito durante a conferência de imprensa habitual do Conselho Federal.

A Confederação assume os custos dos testes

As pessoas que se submeterem aos testes de despistagem e sorológicos não terão de pagar nada para realizar o teste. O Conselho Federal decidiu esta quarta feira de assumir os custos inerentes. Para o Conselheiro Federal Alain Berset, uma monitorização eficaz é necessária para evitar uma segunda vaga da epidemia. Com o início das férias, a situação anuncia-se frágil.

O Conselho Federal pede a toda a população que seja testada se apresentar sintomas, mesmo se forem ligeiros, só assim será feito um rastreamento de contactos eficaz.

Segunda Stefan Kuster, porta-voz do Escritório Federal da Saúde Pública, será possível realizar cerca de 15000 testes diários.

Trabalhadores fora da Espaço Schengen voltam a 6 de julho

A partir de dia 6 de julho, trabalhadores fora da UE e do espaço Schengen podem voltar a trabalhar na Suíça. No entanto, as pessoas que vêm destes países ainda não poderão passar férias na Suíça.

A aplicação Swisscovid lançada amanhã

A partir de amanhã a versão final de Swisscovid será lançada e poderá ser descarregada por toda a população. Até agora estava a ser realizada uma fase de testes onde cerca de 160'000 pessoas tinham utilizado a aplicação. Nenhum caso positivo foi registado. No entanto, como referiu Alain Berset, foi numa altura onde o número de casos já era reduzido.

Várias empresas tentaram desviar dinheiro dos créditos Covid19

As investigações de um grande caso de alegada fraude de crédito Covid continuam no Cantão de Vaud. Uma grande parte dos 1.5 milhões de francos transferidos para o estrangeiro foram repatriados para a Suíça. Em maio, o Ministério Público fez buscas em várias empresas, principalmente PME. Várias pessoas foram presas, sendo que uma delas ainda se encontra detida.

Os alegados autores da fraude são Suíços originários da Turquia, que são suspeitos de terem obtido créditos Covid com base em declarações falsas. Também teriam usado os fundos para outros fins que não relativos às necessidades atuais dos negócios.

Para ajudares no desenvolvimento do site Emigrar para a Suíça, segue as páginas no Facebook e Instagram, e regista-te na nossa newsletter abaixo! Obrigado!

 

 

 

 


Novas regras de desconfinamento na Suíça

O Conselho Federal fez uma nova conferência de imprensa, depois de algumas semanas de ausência, para revelar os detalhes para a nova fase de desconfinamento na Suíça.

Ajuntamentos permitidos até 1000 pessoas

Até agora eram possíveis ajuntamentos até 300 pessoas. A partir de segunda-feira, este limite passa para 1000 pessoas. Para além disso, a distância de segurança baixou de 2 metros para 1.5 metros. Os organizadores das manifestações/ajuntamentos terão de criar grupos até 300 pessoas, em vários setores, para permitir o rastreamento de contactos.

Ajuntamentos de mais de 1000 pessoas depois do verão

A partir de setembro, as manifestações superiores a 1000 pessoas serão novamente autorizadas. Isto se a situação da epidemia não piorar. Tal como para os ajuntamentos de 1000 pessoas, os espetadores terão de ser divididos em grupos.

A partir do dia 22 de junho, já se pode ficar de pé em restaurantes e bares

Até agora os utentes de bares e restaurantes tinham de ficar sentados para serem atendidos. A partir de segunda-feira esta regra já não existe. Para além disso, já poderão abrir para além da meia-noite, ou seja, poderão abrir nos horários habituais. Todos os locais públicos terão de ter um plano de proteção.

Os Cantões terão a liberdade para obrigar o uso da máscara

A partir da próxima semana, os Cantões poderão, se quiserem, impor o uso de máscara. Alguns Cantões tinham pedido nas últimas semanas para que o uso de máscara fosse obrigatório. Temos de aguardar para saber se alguns Cantões vão obrigar o uso de máscara.

O "home office" já não é recomendado pela Confederação

Até hoje a Confederação Suíça recomendava às empresas de colocar os colaboradores a trabalhar em casa, caso fosse possível. A mesma regra aplica-se às pessoas vulneráveis que já podem voltar ao trabalho.

O que achas destas novas medidas?