Estado da vacinação na Suíça

Vacinação contra a COVID-19 - 16.05.

Doses de vacina recebidas na Suíça: 4 712 025
Doses de vacina entregues aos cantões: 3 908 500
Doses administradas até à data: 3 689 909
Doses administradas por 100 habitantes: 42,68

"Situação favorável" disse o Ministério da Saúde Suíço na conferência de imprensa desta tarde

"A situação epidemiológica ainda está a evoluir favoravelmente", disse Virginie Masserey, chefe da secção de controlo de infecções do Gabinete Federal de Saúde Pública (OFSP), aos meios de comunicação social na terça-feira. Os números continuam a cair.

"As novas infecções são inferiores a 1.500 por dia", disse ela. As hospitalizações também estão a descer e estão a cerca de 40 por dia. O número de pacientes Covid-19 em cuidados intensivos é inferior a 200, ou seja, um terço dos pacientes hospitalizados. E as mortes continuam a ser baixas.

A taxa de reprodutibilidade tem sido inferior a 1 durante vários dias, salientou Virginie Masserey. A taxa de positividade dos testes também está a diminuir.

Vacinas eficazes contra variantes

A chefe da secção OFSP disse que estava a acompanhar de perto a situação, particularmente por causa das novas variantes potencialmente mais perigosas. De momento, contudo, a informação inicial sugere que as vacinas continuam a ser eficazes, inclusive contra a variante indiana, disse ela.

A vacinação ainda está a progredir a bom ritmo. Entre 60.000 e 90.000 doses são administradas por dia. Mais de 14% da população está totalmente vacinada e 28% recebeu uma primeira dose.

 


As novas medidas em consulta pelo conselho federal

Se a situação epidemiológica o permitir, os restaurantes poderão reabrir os seus espaços interiores no dia 31 de Maio. Há também planos para aumentar o número de participantes em eventos. As reuniões privadas continuam a ser limitadas.

Restaurantes

O Conselho Federal propõe-se permitir a reabertura de restaurantes sujeitos à existência de um plano de protecção. Contudo, para que isto seja eficaz, o número de novos casos deve ter diminuído ou, pelo menos, estabilizado. As condições seriam então as mesmas que as actualmente em vigor para as esplanadas: respeito pelas distâncias ou separações, um máximo de quatro pessoas por mesa, registo de todos os clientes, obrigação de consumir sentado, obrigação de usar uma máscara, inclusive à mesa quando nada está a ser consumido. Na esplanada, esta última obrigação será levantada.

Eventos públicos

Para eventos públicos, o novo máximo é de 100 pessoas - em vez de 50 - no interior e 300 - em vez de 100 - no exterior. As salas podem ser preenchidas até metade da sua capacidade, em vez de um terço. Para outros eventos tais como reuniões de associação ou visitas guiadas, o número máximo de participantes é agora 30 em vez de 15, tanto no interior como no exterior. As festas dançantes continuam a ser proibidas. Para as reuniões privadas, o limite mantém-se em 10 pessoas dentro de casa e 15 ao ar livre, "tendo em conta o maior risco de contaminação", disse Alain Berset.

Desporto em grupo

Trinta pessoas podem agora reunir-se para praticar desporto em conjunto, em vez de 15 até agora. A presença do público é novamente permitida, inclusive durante as competições, sendo as regras as de eventos com um público (100 pessoas dentro e 300 fora).

Cultura

Tal como no desporto, o limite para grupos na cultura é aumentado para 30 pessoas. É aumentado para 50 pessoas para espetáculos e ensaios necessários para estas actuações, tanto no interior como ao ar livre. Para grupos musicais, a necessidade de espaço foi reduzida de 25 m2 para 10 m2 por pessoa. Quanto aos coros, podem mais uma vez dar concertos ao ar livre, sejam eles profissionais ou não

Teletrabalho

A obrigação de teletrabalho torna-se uma simples recomendação para as empresas que oferecem testes regulares. Para facilitar isto, a Confederação cobrirá não só o custo dos testes, mas também o custo dos testes de de grupo.

Desde 18 de Janeiro de 2021, os empregadores são obrigados a tornar possível o teletrabalho sempre que a natureza do trabalho o permita e na medida em que tal seja possível sem esforço desproporcionado. Assim que todos aqueles que desejam ser vacinados forem vacinados (início da fase de normalização), a regra do teletrabalho será flexibilizada sem condições.

Universidades

O limite de 50 pessoas para o ensino em sala de aula nas universidades foi levantado. As universidades devem elaborar um plano de ensaio em conformidade com a estratégia cantonal e ter o acordo do cantão. As salas podem ser preenchidas até metade da sua capacidade. A distância deve ser respeitada e as mascaras devem ainda ser usadas.

Termas e centros de bem-estar

As termas e centros de bem-estar podem reabrir as suas portas. Deverá haver 15 m2 por pessoa. As mascaras não são obrigatórias, mas as distâncias devem ser respeitadas.

As piscinas podem incluir nos seus planos de protecção exceções à exigência de mascara para certas partes das suas áreas exteriores, tais como as espreguiçadeiras.

Acabou-se a quarentena para as pessoas vacinadas

A partir de 31 de Maio, as pessoas vacinadas deixarão de estar sujeitas a quarentena em caso de contacto ou regresso da viagem. A duração desta exceção e das vacinas em causa ainda não foram definidas. A obrigação de teste ou quarentena também será levantada para crianças com menos de 16 anos, que não podem ser vacinadas, disse Alain Berset. Quanto aos testes PCR para viajantes, estes continuarão a ser pagos.

Tendo em vista as férias de Verão, o Conselho Federal está também a adaptar os conselhos de viagem do governo federal: todas as regiões do mundo apresentam um risco de infecção com o coronavírus. As pessoas que desejem viajar para o estrangeiro são aconselhadas a consultar as informações e recomendações do Gabinete Federal de Saúde Pública antes de viajar, incluindo a lista actual de países e áreas de risco.

"Este é um passo na direcção certa", comentou Walter Kunz, porta-voz da Federação Suíça de Viagens. Agora, pelo menos, podemos planear férias para as pessoas que têm as vacinações".

Contudo, ainda não é aconselhável viajar para estados ou regiões onde novas variantes do vírus estejam a circular. Estes serão objecto de uma lista separada, disse o Conselho Federal.

Estas medidas estão em consulta e serão confirmadas oficialmente a 26 de maio.
A próxima consulta terá lugar a 11 de junho.


O teste rápido é válido para entrar na Suíça de avião?

Existe alguma confusão sobre os testes que são válidos para entrar na Suíça. Aqui ficam as regras dadas pelas autoridades Suíças para entrar na Suíça de avião.

Regras para entrar na Suíça por via aérea

Se entrares na Suíça por via aérea, deves poder apresentar prova de um teste negativo em duas alturas diferentes: primeiro na altura do embarque no país estrangeiro, e segundo no aeroporto Suíço (ao atravessar a fronteira suíça). Nota: Os testes aceites, e as exceções são diferentes nos dois controlos.

1. Controlo do embarque:

As companhias aéreas verificam sistematicamente o resultado do teu teste de coronavírus negativo antes do embarque. Os resultados dos seguintes testes são admissíveis para este controlo:

  • Um teste PCR realizado nas últimas 72 horas;
  • Um teste rápido de antigénios realizado nas últimas 24 horas.

Requisitos para o resultado do teste para o embarque

O documento com o resultado negativo do teste (em formato digital ou em papel) deve conter as seguintes informações:

  • Apelido, nome próprio e data de nascimento da pessoa testada;
  • Data e hora que a amostra foi recolhida;
  • Tipo de teste;
  • Resultado do teste.

Se estiveres a viajar internacionalmente, as autoridades Suíças recomendam que o teu resultado negativo do teste seja emitido em inglês. No entanto, isto não é um requisito legal, outras línguas são também aceites.

Se não conseguires apresentar prova de um resultado negativo durante o controlo, não estás, em princípio, autorizado a embarcar no avião.

Exceções ao requisito do teste na altura do embarque

  • Se tiveres cidadania suíça ou possuíres uma autorização de residência emitida pela Suíça e não tiveres qualquer possibilidade de ser testado no estrangeiro. Neste caso, podes completar a auto-declaração "sem possibilidade de ser testado" (no final desta página) e , ao fazê-lo, confirmas que não tiveste qualquer possibilidade de ser testado dentro de um prazo razoável ou a um custo razoável. Se as informações que forneceres não forem verdadeiras, arrisca-te a ser processado criminalmente ao abrigo da Lei sobre Epidemias.  Atenção: A auto-declaração apenas te permite viajar sem mostrar prova de um resultado negativo do teste. Assim que estiveres na Suíça, deves ser testado para o coronavírus o mais rapidamente possível. Tanto um PCR como um teste rápido são permitidos para este fim. Se este teste for positivo, deverás imediatamente entrar em isolamento.
  • Se precisares de ser transportado urgentemente para a Suíça por motivos médicos e se puderes fornecer um certificado médico para o provar.
  • Se entrares na Suíça apenas para fins de trânsito e não abandonares o aeroporto.
  • Se tiveres sido infetado com o coronavírus nos últimos três meses antes de entrar na Suíça e se estiveres novamente saudável. Neste caso, é necessário o respetivo atestado médico.
  • Se não puderes ser testado por razões médicas. Neste caso, é necessário o atestado médico relevante.

O que deves fazer se o teu teste for positivo antes de voares de volta para a Suíça?

Se o teste para o coronavírus for positivo, não poderás viajar. Terás de permanecer onde estás e aderir às regras que se aplicam nesse sítio às pessoas infetadas. Por exemplo, poderás ter de ficar isolado no país de acolhimento durante um certo tempo e, por conseguinte, não te será permitido viajar. Terás de pagar os custos decorrentes de uma situação deste tipo - a menos que tenhas um seguro de viagem que cubra esses custos ou que existam disposições correspondentes no país de acolhimento.

Exceção: Se o teste só for positivo por teres tido recentemente o Covid-19, poderás ainda assim apanhar o voo pretendido. No entanto, deves ter um atestado médico que comprove que foste infetado com o coronavírus nos últimos três meses e que estás curado.

Repatriamento: Se fores Suíço e necessitares de tratamento urgente na Suíça, podes regressar de avião. Neste caso, porém, serás transportado de volta num avião especialmente equipado para o transporte de pessoas que tenham contraído o Covid-19.

2. Controlo na fronteira suíça

As autoridades de controlo fronteiriço na zona de trânsito do aeroporto verificam o resultado do teste negativo numa base aleatória. Para este controlo, é permitido um resultado trazido do seguinte teste:

  • Um teste PCR realizado nas últimas 72 horas.

Se não tiveres um resultado do teste PCR, a autoridade de controlo na fronteira pode punir-te com uma multa de 200 francos suíços.

Independentemente de seres ou não controlado, aplicam-se também as seguintes regras:

  • Anunciar imediatamente à autoridade cantonal responsável a tua chegada à Suíça. Encontrarás informações de contacto para as autoridades cantonais no website da ch.ch (em alemão, francês ou italiano).
  • Em consulta com a autoridade, faz um  teste PCR ou um teste rápido o mais rapidamente possível.
  • Se este teste for positivo, tens de ficar em isolamento.

Exceções

Certos indivíduos não são obrigados a apresentar provas de um resultado negativo na fronteira suíça:

  • Pessoas que viajam por razões profissionais importantes e cuja viagem não pode ser remarcada;
  • Pessoas que viajam por razões médicas importantes e cuja viagem não pode ser adiada.
    Passageiros em trânsito que tenham permanecido menos de 24 horas num estado ou território com um elevado risco de infeção.
  • Passageiros em trânsito que entram na Suíça apenas para transitar para outro país.
  • Pessoas que transportam pessoas ou bens através da fronteira no decurso dos seus negócios.

Porque é permitido um teste rápido realizado na Suíça, mas não é o caso de um teste rápido  realizado no estrangeiro?

A razão para tal é que as autoridades Suíças estão familiarizadas com o padrão de qualidade do teste na Suíça e sabemos que é suficientemente fiável. Para testes rápidos de antigénios realizados no estrangeiro, o padrão de qualidade é muitas vezes desconhecido.


Estado da vacinação na Suíça

11% da população está totalmente vacinada

De 26 de Abril a 2 de Maio, 361 810 doses da vacina Covid-19 foram administradas na Suíça, de acordo com o Gabinete Federal de Saúde Pública. Em média, foram administradas 51 687 vacinas por dia. Em comparação com a semana anterior, a taxa de injeções aumentou 6%.

2 804 976 doses administradas

No total, foram administradas 2 804 976 doses de vacinas até este domingo. Até agora, 954 177 pessoas foram totalmente vacinadas. Isto significa que 11,1% da população já recebeu duas doses de vacina, enquanto 896 622 pessoas receberam apenas a primeira dose.

Um total de 355 899 doses de vacina foram entregues aos cantões, mas ainda não foram utilizadas. Além disso, 557 250 doses estão armazenadas pela Confederação.

 


Grandes manifestações a partir de julho na Suíça

Com o aumento das vacinas, eventos envolvendo mais de 1.000 pessoas poderão tornar-se novamente possíveis a partir do Verão de 2021, disse o Conselho Federal na quarta-feira. Estes eventos foram proibidos desde Fevereiro de 2020 e só foram autorizados brevemente em Outubro passado.

Dar tempo aos organizadores destes eventos de se prepararem

Tais eventos requerem longas preparações. O Conselho Federal disse na quarta-feira que queria dar aos organizadores segurança para planear o mais cedo possível. Em termos concretos, se os eventos autorizados por um cantão não puderem ter lugar por razões epidemiológicas, os organizadores devem ter direito a uma compensação.

Este princípio, conhecido como o "Schutzregenschirm", foi introduzido pelo Parlamento na Lei Covid-19 na sessão da Primavera. Para receber uma compensação, um evento deve ser aprovado pelo cantão, ter visitantes de outros cantões e ser frequentado por pelo menos 1000 pessoas por dia.

O organizador terá de pagar uma franquia de 30000 francos suíços e 20% do montante restante. Em caso de cancelamento, o cantão pagará metade da compensação e a Confederação a outra metade. As contribuições federais e cantonais para os custos são limitadas a um máximo de cinco milhões de francos por evento. O regulamento aplica-se a eventos que ocorram entre 1 de Junho de 2021 e 30 de Abril de 2022.

Projeto piloto a partir de junho

"Os grandes eventos são importantes para a sociedade", disse o Ministro da Saúde Alain Berset aos meios de comunicação social. Eles reúnem as pessoas. O objetivo é abri-los a partir de Julho.

A reabertura dos eventos deve ser feita por fases. Eventos-piloto para 300 a 600 pessoas podem ser realizados em Junho. Cada cantão poderá realizar três desses eventos. Terão de ser implementados planos de proteção rigorosos e o acesso limitado a pessoas com um certificado Covid, provando que a pessoa foi vacinada, está curada ou foi recentemente testada.

"As pessoas que ainda não foram vacinadas ou que não desejam ser vacinadas poderão também ter acesso a elas", disse o Conselheiro Federal. "Para os jovens com menos de 16 anos, bastará um bilhete de identidade".

Contudo, um autoteste não será suficiente, disse Alain Berset, que é o responsável pela saúde. A menos que seja feito sob a supervisão da organização do evento a que se deseja assistir.

10000 pessoas a partir de Setembro

Deve ser possível realizar eventos para até 3.000 pessoas a partir de Julho. E o limite deve ser aumentado para 10.000 pessoas a partir de Setembro. Contudo, ambas estas etapas exigirão uma decisão formal por parte do Conselho Federal.

Para Alain Berset, "a situação atual é bastante estável. Não está de modo algum fora de controlo. O horário deve poder ser cumprido se a população continuar a prestar atenção e a proteger-se a si própria. No entanto, o ministro ainda encorajou a população a ir e a vacinar-se. "É a nossa melhor aposta para voltarmos ao caminho da normalidade".

Observou também que a evolução das variantes de Covid terá de ser tida em conta.

 

 

 


Cantão de Vaud abre a vacinação a todos os adultos

Primeiro cantão da Suíça francófona a tomar esta decisão, Vaud decidiu abrir a vacinação contra a Covid-19 a todas as pessoas com mais de 18 anos de idade. Os Conselheiros de Estado Béatrice Métraux e Rebecca Ruiz anunciaram isto na inauguração do centro de vacinação em Montreux.

A partir do meio-dia desta segunda-feira, qualquer adulto residente no cantão e nascido antes de 2003 pode fazer uma marcação, sujeita à disponibilidade. O registo deve ser feito preferencialmente através do website coronavax.ch, diz o comunicado de imprensa do cantão. Os interessados podem também ligar para o 058 715 11 00 se o registo através da Internet não for possível.

A decisão foi possível graças ao aumento das entregas de vacinas Moderna e Pfizer, ao reforço do sistema cantonal e ao progresso da vacinação nos grupos anteriores.

Até à data, mais de 83% dos doentes crónicos em Vaud foram vacinados, dois terços das pessoas com mais de 75 anos e mais de metade das pessoas com 65-74 anos. E cerca de metade dos 50-64 anos já fizeram uma marcação desde o alargamento a este grupo etário.

 


As 3 fases de relaxamento das medidas na Suíça

Restaurantes não abrem totalmente antes de dia 26 de maio

Será necessário esperar pelo menos até ao final de Maio para que os restaurantes possam ser reabertos na sua totalidade. O Conselho Federal quer esperar que todas as pessoas em risco tenham sido vacinadas, antes de relaxar ainda mais as medidas contra o coronavírus.

O governo está a apostar na vacinação. Quanto mais pessoas forem vacinadas, menos encerramentos e restrições serão necessários, disse-se na quarta-feira. O objetivo continua a ser evitar a sobrecarga dos hospitais.

Primeira fase, a chamada "fase de proteção"

A fim de levantar gradualmente as medidas de proteção contra o Covid-19, o Conselho Federal elaborou um modelo trifásico sobre o qual os cantões estão a ser convidados a votar. Também definiu valores-guia para apertar colocar mais restrições se necessário.

Dada a frágil situação epidemiológica, a primeira fase, a fase de "proteção", continuará pelo menos até 26 de Maio. Este é o tempo estimado para 75% das pessoas de risco de terem sido vacinadas. O governo avaliará a situação a 12 de Maio e, se necessário, colocará um pacote de medidas à disposição para consulta.

Segunda fase, a chamada fase de "estabilização"

Depois de 26 de Maio, a reabertura das áreas interiores dos restaurantes poderá ser feita, bem como o regresso do ensino presencial nas universidades e colégios, e o fim da obrigação de teletrabalho. No entanto, as empresas e instituições de ensino terão de realizar testes regulares.

Durante esta fase de estabilização, todos os adultos que desejem ser vacinados - 60% de acordo com algumas estimativas - podem ser vacinados. A Confederação espera que tenham recebido pelo menos uma primeira dose de vacina até ao final de Junho e uma segunda até ao final de Julho. Contudo, o Conselho Federal adverte que não deve haver lacunas no fornecimento de vacinas e que o processo de vacinação deve prosseguir como planeado.

Grandes eventos, bares e discotecas

Nesta base, o governo acredita que serão possíveis novas aberturas durante esta fase de "estabilização". Grandes eventos, bares e discotecas, onde o risco de transmissão é particularmente elevado, poderiam ser gradualmente abertos sob certas condições.

Uma vez que a cobertura vacinal tenha atingido cerca de 40% a 50%, poderá ser introduzido o acesso seletivo para aqueles que tenham sido vacinados, testados ou curados. O certificado Covid-19, atualmente em desenvolvimento, seria a solução.

Terceira fase, a fase de "normalização"

A chamada fase de "normalização" terá início em Agosto, quando todos os adultos que desejem ser vacinados tiverem sido vacinados. As restrições sociais e económicas já não serão justificadas. As restantes medidas, tais como restrições de acesso ou a limitação do número de pessoas, serão gradualmente levantadas.

O Conselho Federal aderirá a esta estratégia, mesmo que, apesar das expectativas, a propensão da população a ser vacinada permaneça baixa. O vírus continuará a circular e, a longo prazo, pessoas não vacinadas e não curadas ficarão infetadas. Quanto maior o número de pessoas não vacinadas e não curadas, maior o potencial para surtos.

Reintrodução de algumas medidas

Para evitar uma nova vaga, o governo continua, portanto, a promover a vacinação gratuita. No entanto, respeita a decisão pessoal de cada indivíduo.

Se, apesar de tudo, a epidemia se fortalecer, certas medidas - uso de máscaras, planos de proteção, distanciamento e limitação de capacidades - poderiam ser reintroduzidas por algum tempo. No entanto, estas medidas só se aplicariam a pessoas que não possuam um certificado Covid-19.

 

 


Estado da vacinação na Suíça

A Suíça ultrapassou 2 milhões de vacinações.

"Passámos a marca dos dois milhões de vacinas na semana passada", disse Nora Kronig, vice-directora do Gabinete Federal de Saúde Pública (OFSP), aos meios de comunicação social na terça-feira. O limite de três milhões de doses entregues será atingido esta semana.

Nora Kronig explicou ainda que a entrega reduzida de vacinas Moderna no sábado será feita na quinta-feira. "Recebemos novas doses todas as semanas, com algumas incertezas e variações". Mas a vacinação continua.

Os números a 18 de abril de 2021

Doses de vacina recebidas na Suíça: 2 619 075
Doses de vacina entregues aos cantões e FL: 2 476 050
Doses administradas até à data: 2 100 669
Doses administradas por 100 habitantes: 24,3

Eficácia das vacinas durante 6 meses

As vacinas são eficazes até seis meses após a injeção. As pessoas que já foram vacinadas podem ser isentas de quarentena durante estes seis meses duas semanas após terem recebido a segunda dose, referiu Christoph Berger, Presidente da Comissão Federal de Vacinas.

A estratégia de vacinação do governo federal foi adaptada. As pessoas que já tiveram Covid-19 também podem ser vacinadas seis meses após terem contraído a doença. No entanto, receberão apenas uma dose, explicou Christoph Berger na conferência de imprensa. As pessoas com sistemas imunitários enfraquecidos receberão duas doses.

A vacinação também é possível para mulheres grávidas vulneráveis ou altamente expostas a riscos. Deve ser feito em consulta com o ginecologista.

O objetivo é também a vacinação de crianças, nas quais também existem raros casos de agravamento. Estão em curso estudos para os que têm entre 12 e 18 anos, mas ainda não existem dados para as crianças mais novas, salientou Christoph Berger.

 

 


Novas medidas na Suíça, a partir de dia 19 de abril

O Conselho Federal anunciou hoje as novas medidas em vigor a partir de segunda-feira dia 19 de abril. Apesar da situação sanitária estar ligeiramente pior, o Conselho Federal decidiu aligeiras as medidas. Pois, 50% das pessoas com mais de 80 anos e 30% das pessoas entre os 70 e 80 anos estão vacinadas. Assim, o Conselho Federal considera estas novas medidas um risco calculado.

RESTAURANTES E BARES - abertura de esplanadas

Concretamente, as atividades em que o risco de infeção é moderado, onde pode ser usada mascara e respeitar o distanciamento social, vão ser novamente permitidas a partir de segunda-feira. Restaurantes e bares poderão reabrir as esplanadas. No entanto, os clientes terão de ser servidos à mesa, tirar a mascara apenas para comer e deixar as suas informações de contacto.

As mesas serão limitadas a quatro convidados. Devem ser espaçadas de um metro e meio entre si ou separadas por uma parede. Como as esplanadas não são geralmente suficientes para cobrir todos os custos dos restauradores, a ajuda dada pela confederação será prolongada. As discotecas e os salões de dança permanecerão fechados.

UNIVERSIDADES - recomeço das aulas presenciais limitadas a 50 pessoas

Os estudantes poderão regressar às universidades. O ensino em sala de aula será novamente permitido para universidades e educação de adultos mas limitado a 50 pessoas por aula.

CINEMAS E TEATROS - 50 pessoas no máximo

Os cinemas e teatros poderão reabrir em condições semelhantes. No entanto, os teatros só poderão acomodar 50 pessoas ou um terço da sua capacidade.

MUSEUS - visitas guiadas para 15 pessoas

Uma lufada de ar fresco para os museus. Poderão organizar visitas guiadas para 15 pessoas. E os membros de associações podem reunir-se dentro dos mesmos limites.

JOGOS DE FUTEBOL E CONCERTOS AO AR LIVRE- limitado a 100 pessoas

Os jogos de futebol, concertos e outros eventos ao ar livre serão limitados a 100 pessoas. Um lugar deve ser deixado livre entre os espetadores, que devem permanecer sentados e usar a mascara em todos os momentos. O consumo não será permitido.

ATIVIDADES DESPORTIVAS - grupo de 15 pessoas

Os adultos poderão retomar as atividades desportivas em grupos até 15 pessoas. E, também podem ser realizadas competições. No entanto, a mascara e a distância devem ser respeitadas no interior, enquanto o respeito de uma das duas regras é suficiente no exterior.

Serão permitidas exceções para atividades em que seja impossível usar uma máscara, tais como coros ou atividades de resistência em ginásios. No entanto, o Conselho Federal recomenda que estas atividades sejam realizadas ao ar livre e que sejam previamente testadas. Os desportos de contacto continuam a ser proibidos no interior.

 


Os efeitos da vacinação estão a aparecer - Conferência de imprensa

Os efeitos da campanha de vacinação sobre as pessoas com mais de 75 anos de idade estão a funcionar. Este grupo prioritário é menos afetado pelo Covid-19 e o mesmo deverá acontecer em breve também para a população mais jovem, disse Rudolf Hauri, presidente da Associação dos Médicos Cantonais, na terça-feira perante os meios de comunicação social em Bern.

"Este desenvolvimento oferece a perspetiva de um declínio sustentável do número de infeções", acrescentou o médico cantonal de Zug. No entanto, é necessário manter-se cauteloso. O risco de um aumento rápido da infeção não pode ser excluído.

Além disso, nem tudo é ainda ótimo no que diz respeito à vacinação. O número de doses é ainda insuficiente e as capacidades de vacinação precisam de ser ajustadas. Além disso, ainda há pessoas com direito a ser vacinadas que ainda não se registaram", diz Rudolf Hauri.

Provavelmente levará até ao Outono para que todos os que querem ser vacinados o possam fazer.

Ligeiro aumento do número de casos

O número de novas infeções continua a aumentar, mas ligeiramente. A situação é controlável e contida, graças às medidas tomadas, disse Virginie Masserey, chefe da secção de controlo de infeções do Gabinete Federal de Saúde Pública (OFSP). "Com 2.000 a 2.500 casos por dia, a situação não é explosiva", disse ela.

A vacinação está a progredir Na semana passada, cerca de 30.000 vacinações estavam a ser realizadas todos os dias. Isto é 25% mais do que na semana anterior, que foi, no entanto, marcada por um abrandamento no ritmo das injeções.

Pela primeira vez na Suíça, foram administradas mais de 200.000 doses de vacina numa semana, ou seja, 210.279 doses entre 5 e 11 de Abril. Cerca de 70% das pessoas com mais de 75 anos de idade já receberam uma primeira dose. A nível suíço, 8% da população foi totalmente vacinada, e pelo menos 13% recebeu uma dose, disse Virginie Masserey.

No total, 484.008 doses de vacina foram entregues aos cantões, mas ainda não foram utilizadas. Além disso, 91.200 doses foram armazenadas pela Confederação, e cerca de 8 milhões de doses adicionais estarão disponíveis nos próximos meses.