O contrato de arrendamento na Suíça

O contrato de arrendamento na Suíça é obrigatório e contém as seguintes informações:

  • Montante da renda e das “cargas”;
  • A duração do contrato;
  • O número de peças da casa;
  • O regulamento de utilização.

Este contrato é assinado pela agência imobiliária ou pelo proprietário e por ti.

O que são as “cargas” (ou charges) num contrato de arrendamento na Suíça?

As “cargas” são despesas acessórias e regulares do teu arrendamento. Geralmente, gerem-se pelos seguintes pontos: água quente, aquecimento e ligação por cabo. Se tiveres dúvidas relativamente ao que estás a pagar, podes pedir ao proprietário para te informar sobre as despesas inseridas no montante da renda.

Apesar do valor cobrado para estas despesas ser idêntico todos os meses, acabará por não ser exatamente o valor total que irás pagar. No final do ano, será feita uma recapitulação dos gastos anuais. Se, por acaso, se determinar que pagaste mais do que realmente gastaste, a agência imobiliária ou o proprietário irá devolver-te parte do dinheiro. Na situação oposta, terás de pagar a diferença.

Atenção: ocasionalmente, o valor das cargas aumenta de um ano para o outro. Dependendo do tipo de fonte energética utilizada para o aquecimento da água ou para o aquecimento centralizado, poderá surgir um aumento ou diminuição de preço. Podemos dar como exemplo o óleo combustível (Fuel Oil), que é utilizado em muitas habitações mais antigas na Suíça. Como este valor está diretamente ligado ao preço do petróleo, vão sempre existir variações nas cargas a pagar ao final do mês.

Qual é a data para o pagamento da renda?

Na Suíça tens de pagar a renda no final de cada mês, valendo para o mês seguinte.


O dossiê para um pedido de aluguer

O dossiê para um pedido de aluguer na Suíça é essencial para conseguires alugar uma casa. Aqui fica a lista dos documentos que precisas para completar o teu dossiê:

  • Contrato de trabalho, se acabaste de chegar à Suíça, ou as três últimas fichas de salário;
  • Um documento de identificação;
  • O teu visto de trabalho ou, se ainda não o tiveres, um documento do teu empregador provando que foi feito o pedido para o visto;
  • Se não for o teu primeiro domicílio na Suíça, tens de juntar um extrato de solvabilidade, ou seja, um extrato que demonstra que não tens nenhum processo em curso na Suíça para o pagamento de dívidas. Se for o teu caso, será difícil alugares uma casa;
  • Um extrato do registo criminal. Este documento não é obrigatório;
  • Um atestado do seguro de responsabilidade civil, seguro obrigatório para o efeito;
  • Carta de motivação. Esta não é obrigatória, mas em caso de competição para um certo imóvel, esta carta vai valer-te pontos preciosos.

 


Procurar casa na Suíça

A tarefa de procurar casa na Suíça pode tornar-se complicada, já que, provavelmente, te vais encontrar num cenário de "10 cães a um osso". Como referido neste artigo, esta questão está dependente das regiões onde estiveres à procura. Neste artigo ficas a saber como começar a tua busca de casa.

Procurar pelas próprias mãos uma casa na Suíça

Tal como em Portugal, a melhor forma para procurar casa na Suíça é utilizar os vários sites especializados em anúncios imobiliários. Aqui fica uma lista dos mais conhecidos na Suíça:

Como para "tudo" na Suíça, a relevância destes sites varia consoante a região. Por exemplo, o Immoscout é muito mais utilizado na zona de Valais do que o Homegate.

Também poderás procurar casa nos anúncios dos jornais da tua região de eleição. Podes consultar uma lista de jornais neste artigo.

Contratar uma agência imobiliária para procurar uma casa na Suíça

Na Suíça é comum recorrer a agências imobiliárias, já que, em algumas regiões, encontrar casa para alugar é muito difícil. Normalmente, as agências imobiliárias disponibilizam um vasto leque de imóveis que podes considerar visitar. Para este serviço, não é costume serem cobradas comissões pela agência. No entanto, se tiveres em vista algo específico, que não se encontra disponível no portfólio da agência, o caso muda de figura. A partir desse momento, a agência transforma-se numa "caçadora de apartamentos" e, pelo trabalho prestado, irá cobrar-te uma comissão correspondente a uma renda mensal.

Agora que já sabes como procurar casa, seguem-se as tarefas mais aborrecidas: a burocracia.


Alugar casa na Suíça - Rendas elevadas

O sector imobiliário na Suíça pode ser bastante complicado, dependendo das regiões. As zonas de Zurique, Genebra e Lausanne estão completamente sobrelotadas e, por essa razão, verificam um preço elevado das rendas. Noutras áreas do país, como Valais, as rendas já ficam mais em conta, aparecendo cada vez mais casas vazias, o que também representa uma contínua e ligeira redução nos preços.

Tal como analisámos noutros artigos, como naqueles relacionados com os salários, as rendas também variam consoante as zonas do país. Igualmente ao caso de Portugal, as regiões mais populosas representam rendas mais caras. No entanto, ao contrário da situação vivida em Lisboa ou Porto, as rendas mantêm-se adequadas ao nível de vida. Ninguém irá consentir que alugues um espaço se não garantires um rendimento três vezes superior ao preço do aluguer. Por exemplo, se receberes um salário de 3000 francos, só conseguirás alugar casas com valores inferiores aos 1000 francos.

De referir que as habitações modernas têm, obviamente, rendas superiores às antigas. Mesmo assim, o parque imobiliário suíço encontra-se em bom estado, na sua generalidade.

 

 


Como obter o visto de estadia / trabalho

Agora que já sabes o que são os vistos de estadia, tens de perceber como estes são obtidos. Para conseguires o visto de estadia, tens de enviar determinados documentos para o cantão onde irás residir. O teu futuro empregador também terá um papel na aquisição deste visto. Os documentos a entregar são os seguintes:

  • Cartão de cidadão ou passaporte;
  • Formulário de pedido de autorização de estadia. Este documento encontra-se facilmente na internet, no site dos cantões ou municípios, por exemplo aqui no Cantão de Vaud.
  • Um atestado do empregador;
  • Extrato do cadastro judicial. Este extrato não é obrigatório em todos os cantões;
  • O livrete de família, se te vieres instalar com a tua família.

O preço para o visto varia entre os 65 e 90 francos.


Os diferentes vistos de trabalho / estadia

Um visto de trabalho ou de estadia (permis de séjour) é obrigatório para conseguir trabalhar e viver na Suíça. Se fores descoberto num emprego sem qualquer visto de trabalho, a multa pode atingir os 10000 Francos, uma pena de prisão de 6 meses e interdição de entrar no território helvético (até 3 anos). A empresa que te permite este trabalho “por baixo da mesa” (ou “au noir”) também está a incorrer numa transgressão, penalizada com multa a partir dos 30000 francos e até um milhão de francos, em casos de reincidência.

Portanto, antes de aceitares um trabalho sem seres portador de um visto que to permite, precisas estar ciente dos perigos e consequências a que te expões. Nos domínios da restauração e agricultura, é costume que muitas empresas se aproveitem do trabalho sazonal para oferecerem a estrangeiros empregos sem contrato.

Se quiseres obter mais informações sobre este tipo de trabalho “au noir”, podes dirigir-te para o site oficial www.pas-de-travail-au-noir.ch.

Os diferentes tipos de visto para cidadãos da União Europeia

Existem quatro tipos de visto de trabalho para os cidadãos da União Europeia: L, B, C e G.

Permis L

O visto L é uma autorização de curta duração.

A quem se destina?

A todos os cidadãos da União Europeira que pretendem instalar-se na Suíça por um período inferior a um ano, com ou sem contrato de trabalho. Se não tiveres contrato, terás de provar que possuis condições para te sustentares durante a tua permanência no país. Esta estadia tem ainda um período mínimo de 4 meses.

Validade

A validade máxima é de 12 meses. A autorização pode ser renovada sem restrições, nem qualquer tipo de obrigação de sair do país. Depois de, pelo menos, 30 meses de estadia, este visto transforma-se num permis B.

Permis B

O visto B é uma autorização de média duração.

A quem se destina?

A todos os cidadãos da União Europeia que querem instalar-se na Suíça por um período superior a um ano. O contrato de trabalho deve ter uma duração superior a 12 meses. Tal como para o permis L, não ser portador de contrato de trabalho implica demonstrar a tua capacidade para te sustentares na Suíça sem emprego.

Validade

Este visto tem uma validade de cinco anos. Após este espaço de tempo, pode ser renovado ou pedido o visto C. 

Permis C

O visto C permite a que um estrangeiro permaneça na Suíça por tempo indeterminado.

A quem se destina?

A todos os cidadãos da União Europeia que já trabalham e/ou vivem na Suíça por 5 anos.

Validade

Indeterminado

Condições especiais

Com este visto, és considerado residente permanente. Como tal, significa que terás algumas restrições na saída do país. Se fores domiciliar-te no estrangeiro por um período superior a 6 meses, vais perder o teu permis C. No entanto, apresentando justificação, é possível conseguir uma autorização para viver no estrangeiro durante dois anos sem perder o visto C.

Permis G

O visto G é uma autorização diferente do habitual. Esta permite que indivíduos residentes no exterior sejam empregados na Suíça. É um visto muito comum para os cidadãos dos países vizinhos (como, por exemplo, Alemanha, França, Itália).

A quem se destina?

A todos os cidadãos da União Europeia que moram no estrangeiro, num país europeu, e que trabalham na Suíça. Estes trabalhadores são obrigados a voltar ao seu país de residência pelo menos uma vez por semana.

Validade?

Até cinco anos.


Salário médio na Suíça para quadros superiores, por sector de atividade

Os quadros superiores na Suíça auferem elevados valores de salário. No entanto, existe também uma grande discrepância entre os sectores de atividade. Por exemplo, um quadro superior ou médio numa empresa na indústria farmacêutica, embolsa um salário médio de 17186 francos brutos por mês, enquanto que o mesmo estatuto na construção recebe 8345 francos.

Abaixo fica a tabela do Instituto Federal das Estatísticas:

 

Salário bruto mensal dos quadros, por sector económico,”OFS – l’enquête suisse sur la structure des salaires en 2016″

Legenda:

 

  • Indústria farmacêutica;
  • Seguros;
  • Serviços financeiros;
  • Atividades de gestão;
  • Investigação e desenvolvimento;
  • Telecomunicações;
  • Saúde;
  • Indústria alimentar;
  • Indústria têxtil e vestuário;
  • Construção;
  • Comércio de retalho;
  • Alojamento e restauração.

 

 


O salário médio na Suíça por sector de atividade

O instituto federal de estatística suíço faz, a cada dois anos, um estudo para a estrutura dos salários no país. Cerca de 90% das empresas participam neste estudo, de forma que os resultados se aproximam bastante da realidade.

 

Salário bruto mensal por sector económico,”OFS – l’enquête suisse sur la structure des salaires en 2016″

Legenda:

 

  • I – Alojamento e restauração;
  • N – Atividades de serviços administrativos;
  • G – Comércio grossista, comércio e reparações automóveis;
  • C – Indústria manufatureira;
  • S – Outras atividades de serviço;
  • R – Artes, espetáculos e atividades recreativas;
  • H – Transporte e armazenagem;
  • F – Construção;
  • E – Produção e distribuição de água, gestão de resíduos;
  • Q – Saúde humana e ação social;
  • L – Atividades imobiliárias;
  • M – Atividades especializadas, científicas e técnicas;
  • J – Informação e comunicação;
  • O – Administração pública, defesa; segurança social;
  • D – Produção e distribuição de energia;
  • K – Atividades financeiras e de seguros;
  • P – Ensino;


O salário na Suíça

O valor do salário na Suíça é, sem dúvida, um dos maiores motivadores para aqui se procurar emprego. No entanto, há que ter em consideração que nos chega muita informação errónea e mal interpretada. Sim, na Suíça possui-se um poder de compra incomparável com Portugal. Sim, na Suíça, geralmente, ganha-se muito mais do que em Portugal. Mas também o custo de vida na Suíça é, na maioria dos aspetos, muito mais elevado. Portanto, não te deixes apelar apenas por quem te diz que “na Suíça ganhas três vezes mais do que em Portugal”. Essa não é uma verdade absoluta, pois depende de muitos fatores.

Depois de teres lido todas as rubricas de “procurar trabalho” e ter sido finalmente chamado para entrevista, uma das questões que provavelmente vai surgir na tua cabeça é o montante do salário que queres auferir. Ao contrário de Portugal, não existe salário mínimo na Suíça. No entanto, vários ramos têm um salário mínimo estipulado.

O salário médio anual bruto na Suíça é de 78000 Francos suíços (cerca de 70000 euros). Em Portugal, o salário médio anual é, atualmente, de 18343 euros. A nível europeu, os países nórdicos, Reino-Unido e Luxemburgo têm salários médios idênticos à Suíça.

 

Salário bruto anual em euros – Fonte Eurostat 2014.

 


Candidatura de emprego na Suíça por correio ou por internet?

Não sabes se na Suíça tens de enviar por correio ou por mail a tua candidatura de emprego? Ficam aqui respondidas as tuas perguntas.

Apesar de vivermos numa sociedade cada vez mais ligada à internet, em muitas situações ainda te poderão pedir uma candidatura por meio de correio tradicional. Abaixo ficam as  diferenças para os dossiers de candidatura a entregar, se os enviares por e-mail ou por correio.

Candidatura por e-mail

As candidaturas através da internet são candidaturas leves e necessitam de menos informação que uma enviada por correio. Um CV e uma carta de motivação são suficientes para o envio do dossier. Atenção, os anúncios da internet podem ainda requisitar expressamente outros documentos a juntar à candidatura.

No envio dos documentos, é importante que estes se apresentem em formato PDF. Inclusive, alguns sites de busca têm a opção de enviar os documentos diretamente através do site, e, regra geral, requerem o formato PDF.

Candidatura por correio

As candidaturas por correio tradicional contêm vários documentos além do CV e da carta de motivação. Eis os documentos que tens de juntar à tua candidatura por correio:

  • Certificados de empregos anteriores;
  • Diplomas e certificados de formação que sejam pertinentes para a função a que te candidatas;
  • Outros documentos que julgas importante acrescentar, como, por exemplo, artigos científicos que tenhas publicado.

No que diz respeito aos diplomas e certificados, não é necessário enviar os originais, sendo uma cópia suficiente. Se fores chamado para entrevista, poderás então mostrar os diplomas e certificados originais.

Aqui na Suíça, a organização é muito importante. Portanto, é essencial que o teu dossier de candidatura revele qualidade, boa organização e legibilidade.