Chegar à Suíça, um país conhecido pela sua qualidade de vida, paisagens deslumbrantes e oportunidades de trabalho, é sem dúvida um momento important na vida de qualquer emigrante. Mas além de se adaptar a uma nova cultura e ambiente, é essencial pensar na tua independência financeira desde o início. Hoje, quero partilhar contigo alguns conselhos para te colocar no caminho certo para alcançares a tua independência financeira na Suíça.

Estabelece um Orçamento

Antes de mais, familiariza-te com o custo de vida na Suíça. Sim, é um dos países mais caros do mundo, mas com um planeamento cuidadoso, podes gerir o teu dinheiro de forma eficaz. Da minha própria experiência, percebi a importância de criar um orçamento detalhado desde o início. Isso inclui despesas com aluguer, alimentação, transporte, seguro de saúde e outras despesas essenciais. E, claro, a importância de incluir uma margem para poupança e – depois – investir.

Quando comecei a minha jornada à procura da independência financeira, o primeiro passo que tomei foi exatamente este: montar um orçamento. Esse exercício inicial ajudou-me imenso a perceber para onde o meu dinheiro estava a ir e onde eu poderia ajustar para poupar mais. É um método que recomendo a quem se está a mudar para a Suíça ou a qualquer pessoa que esteja a repensar as suas finanças pessoais. Acredita, este simples passo pode fazer uma grande diferença na tua capacidade de gerir as despesas e na tua jornada para alcançar a independência financeira.

Poupa e investe para atingires a tua independência financeira na Suíça

A poupança é o primeiro passo fundamental na construção da tua independência financeira, mas igualmente crucial é como escolhes investir essas poupanças. Na minha própria jornada financeira, percebi rapidamente a importância de explorar opções de investimento que não só preservassem o valor do meu dinheiro, mas também o fizessem crescer. A minha principal aposta foi no mercado imobiliário, tanto na Suíça como em Portugal. Este setor mostrou-se não só uma fonte de rendimento estável através de rendas, mas também um investimento a longo prazo que se valoriza com o tempo.
Para além disso, estando eu ligado ao ramo da construção, este meio é mais fácil para mim.

O terceiro pilar

Além do imobiliário, outro aspeto importante na Suíça é o 3º pilar, ou seja, o plano de pensões privado que complementa os esquemas de pensão estatal e ocupacional. Confesso que, quando cheguei à Suíça, não dei a devida importância a esta opção de poupança. E quando finalmente decidi investir no meu 3º pilar, fiz algumas escolhas menos acertadas por falta de informação adequada, e por conselhos de pessoas que procuram ganhos fáceis e não a melhor solução para o cliente, infelizmente. Mas esse tempo passou e aprendi com os erros e estou aqui para mudar isso mesmo, dar-te as ferramentas necessárias para teres o máximo de informações possíveis para tomares as tuas próprias decisões. Este aspeto será falado mais em detalhe num artigo dedicado brevemente.

Ao relembrar das minhas experiências iniciais com o investimento e o 3º pilar serve como um lembrete crucial: investir é um processo de aprendizagem contínuo. Vais certamente cometer erros, mas a chave é aprender com eles e continuar a avançar, sempre com o objetivo de uma vida financeiramente independente e segura na Suíça.

Aprende sobre o Sistema Fiscal

Perceber o sistema fiscal suíço é um aspecto crucial para gerir eficazmente as tuas finanças pessoais. No meu caso, no início, não dei muita importância a preencher a declaração de impostos, já que o imposto era retido diretamente do meu salário (ao teres o visto L ou B – por exemplo). Contudo, acabei por perceber que, nos primeiros anos, deixei de recuperar uma parte significativa do dinheiro que me era devido. Na Suíça é possível reaver uma parte dos impostos retidos, através de deduções específicas que podem ser aplicadas na declaração de impostos, mesmo se o mesmo imposto é retido na fonte.

Para muitos, o processo de preenchimento da declaração de impostos pode parecer intimidante ou até mesmo complexo. Se esta tarefa não é exatamente a tua praia, como não era a minha, há sempre a opção de procurar a ajuda de conselheiros fiscais. Estes profissionais podem não só poupar-te um tempo precioso mas também assegurar que estás a aproveitar ao máximo as potenciais poupanças fiscais. Sim, recorrer a um conselheiro tem um custo, mas, na minha experiência, é um investimento que compensa amplamente, tendo em conta o montante que podes economizar ou recuperar.

Hoje, após anos a viver na Suíça, familiarizei-me bem com o sistema fiscal e já consigo preencher a minha declaração de impostos sem assistência externa. Aprendi muito com os meus conselheiros passados e acredito que tu também poderás chegar a esse ponto.

Portanto, a minha sugestão é: não subestimes a importância de uma boa gestão fiscal. Informa-te, aproveita os recursos disponíveis e, se necessário, procura ajuda profissional. Este passo pode fazer uma grande diferença no teu objetivo para alcançar a independência financeira na Suíça.

Seguro de Saúde para a independência financeira na Suíça

O sistema de seguro de saúde na Suíça é algo que merece uma atenção especial, não só pela sua importância, mas também pela sua complexidade, e sobretudo pelo budget. Todos os residentes são obrigados a ter um seguro de saúde básico, que cobre um conjunto padronizado de serviços médicos. No entanto, apesar dessa base comum, vais descobrir que os preços podem variar significativamente entre as diferentes seguradoras.

A minha experiência pessoal reflete bem esta realidade. Optei por uma franquia alta, a mais elevada disponível de 2500 CHF, escolhendo o seguro de saúde mais acessível do mercado para a cobertura básica obrigatória. Esta decisão baseou-se na minha avaliação pessoal das necessidades e na minha situação financeira na altura, e sendo uma pessoa que está globalmente bem de saúde e que raramente utilizo serviços médicos, este é um bom compromisso para mim.

Os seguros complementares

Para além do seguro básico, existem os seguros complementares, que são aqui onde muitas seguradoras e intermediários encontram o seu “ganha-pão”. Estes seguros oferecem coberturas adicionais, como tratamentos de medicina alternativa, quartos semi-privados ou privados em hospitais, entre outros. No entanto, é crucial estar bem informado sobre o que realmente precisas. No meu caso, valorizo a cobertura para medicinas alternativas, como a osteopatia, que, embora não utilize regularmente, faz sentido para mim e justifica o custo adicional. Por outro lado, decidi não adicionar seguros para opções como quartos semi-privados em hospitais, pois, com 33 anos – ainda posso considerar-me jovem, certo? – são serviços que provavelmente não precisarei tão cedo e, portanto, representariam um gasto desnecessário.

Esta abordagem reflete bem o quão subjetiva pode ser a escolha do seguro de saúde na Suíça. O que é indispensável para uma pessoa pode ser dispensável para outra. A chave está em compreender bem as tuas necessidades pessoais e familiares, bem como a tua situação financeira, para tomar decisões informadas.

Um caminho longo…mas alcançável

Alcançar a independência financeira é um longo caminho. Requer tempo, paciência e persistência. Mas com um planeamento cuidadoso e decisões inteligentes, podes maximizar as tuas oportunidades na Suíça e colocar-te no caminho certo para uma vida financeiramente segura e satisfatória.

Espero que estas dicas vão te ajudar a iniciar a tua aventura financeira na Suíça. Lembra-te, estamos neste caminhos juntos!

Um abraço,

Samuel