O ramo da hotelaria e restauração Suíço anunciou ontem as medidas de proteção para a restauração e a hotelaria. Os proprietários destes estabelecimentos têm um documento de 7 páginas a ler e a respeitar, nas quais encontram-se 10 medidas.

1 – Higiene das mãos

Todas as pessoas que se encontram no estabelecimento têm de se lavar regularmente as mãos. Os restaurantes terão de disponibilizar um espaço à entrada para que os clientes possam desinfetar ou lavar as mãos. Os colaboradores do estabelecimento têm de se lavar ou desinfetar as mãos quando colocam a mesa, dobram os guardanapos e colocam os talheres. Depois dos clientes irem embora e os colaboradores limparem as mesas, têm de lavar ou desinfetar as mãos antes de tocar em louça lavada.

2 – Separação dos grupos de clientes

Um grupo de clientes só pode ter 4 pessoas. Estão excluídos desta regra pais com filhos assim como restauração escolar e de empresas que não são públicas. O restaurante tem de se assegurar que os grupos de clientes não se misturam. Para além disso, os clientes têm de estar sentados, os lugares de pé não são autorizados. Ofertas de entretenimento, tal como bilhar, bowling, máquinas de dinheiro, jogos, etc,. não são autorizadas.

3 – Guardar as distâncias

Os grupos de clientes têm de estar separados por 2 metros, à frente e em cada lado das mesas. Estas medidas podem ser reduzidas, se houver uma separação instalada entre grupos de clientes. Estas separações têm de ter dimensões específicas, que são explicadas em pormenor no documento disponibilizado pelo ramo da hotelaria. Nas filas de espera, o grupo de clientes têm de respeitar os 2 metros de distância. O estabelecimento tem de colocar sinalização no chão para controlar as distâncias. As dibstâncias mínimas não precisam de ser respeitadas quando o grupo de clientes ou os colaboradores passam de uma sala para outra. O distanciamento também tem de ser respeitado nas casas de banho, nas filas de espera das casas de banho e nos locais reservados aos colaboradores. Nas salas de pausa dos colaboradores, o número de pessoas é limitado a uma pessoa por 4 m2.

Os estabelecimentos têm de informar os clientes sobre as regras de higiene e proteção. Se os clientes não respeitarem as mesmas, o estabelecimento poderá pedir para sair. Quando os clientes passam uma encomenda no bar, e não à mesa, como em restaurantes take-away, bares e pubs, têm de informar os clientes das regras de distanciamento com cartazes e sinalização no chão. Os colaboradores do estabelecimento não podem tocar objetos que pertencem aos clientes, como casacos.

Trabalhar quando a distância tem de ser inferior a 2 metros

Não pode haver contacto físico entre clientes e colaboradores. Se dois colaboradores trabalharem muito tempo lado a lado, terão três opções: guardar a distância de 2 metros, trabalhar de costas viradas ou usar viseiras/máscaras de proteção. Também é possível colocar uma separação entre os dois postos de trabalho e, assim, a distância mínima não precisa de ser respeitada. Durante o serviço, a distância mínima é recomendada e os gerentes do estabelecimento têm de adotar medidas organizacionais para que a distância seja respeitada a maior parte do tempo.

4 – Limpeza

Os estabelecimentos terão de limpar regularmente e de maneira adequada as superfícies e objetos depois de utilização. Os talheres têm de ser mudados e lavados a cada utilização. Para a limpeza das mesas, por exemplo, é preferível utilizar panos descartáveis ou senão reutilizáveis mas terão de ser mudados regularmente, no mínimo duas vezes por dia. As maçanetas das portas, botões dos elevadores, apoios dos braços das cadeiras, etc,. terão de ser lavados ou desinfetados pelo menos uma vez por dia. A louça tem de ser lavada através de máquina de lavar, se for possível, e num programa com temperatura superior a 60°C.

Várias medidas de limpezas ainda são explicadas em mais detalhe no documento em questão.

5 – Pessoas de grupos de risco

As pessoas vulneráveis têm de ficar em casa o máximo de tempo possível. Se o estabelecimento tiver colaboradores de grupo de risco, tem de respeitar as regras da Confederação que se encontram aqui, no artigo 10C. Para além disso, o estabelecimento tem de ter em conta que os grupos de risco têm de ter uma atenção e proteção particular.

6 – Colaboradores com sintomas de Covid-19

Se os colaboradores apresentarem sintomas de covid-19, estes são reenviados para casa e têm de seguir as regras de auto-isolamento segundo as informações dadas pela OFSP/BAG.

7 – Situações de trabalho particulares

As máscaras de higiene, como por exemplo, máscaras cirúrgicas, terão de ser mudadas consoante a utilização, mas ao menos todas as 4 horas. Têm de se lavar as mãos antes de pôr e depois de retirar a máscara. Este tipo de máscaras tem de ser eliminados num caixote do lixo fechado. As luvas descartáveis têm de ser mudadas todas as horas e, também, têm de ser eliminadas num caixote do lixo fechado. O estabelecimento terá de renunciar a objetos usuais, tais como especiarias nas mesas, óleos, etc, ou então terá de limpá-los após cada cliente. Objetos que podem ser passados para vários clientes facilmente, como jornais ou revistas, terão de ser descartados. Os ecrãs táteis para que os clientes façam encomendas têm de ser descartados ou o estabelecimento terá de colocar à disposição desinfetantes e lenços descartáveis junto ao ecrã.

8 – Informações aos colaboradores e clientes

Os colaboradores e clientes terão de ser informados relativamente a todas as questões ligadas ao covid-19, através de cartazes e sinalização. Os colaboradores terão de ser formados para a utilização dos equipamentos de proteção. Os empregados terão de informar os clientes que é recomendado o pagamento sem contacto. O estabelecimento terá de informar os clientes que renunciam a visita destes se apresentam sintomas que indicam uma infeção respiratória.

9 – Gestão do estabelecimento

Todos os produtos de proteção, tal como sabão, lenços descartáveis, desinfetantes para as mãos e produtos de limpeza terão de ser recarregados regularmente. Se for necessário, o estabelecimento propõe máscaras de higiene assim com viseiras de proteção e luvas.

Os colaboradores têm de informar a entidade patronal se fazem parte de um grupo de risco. Dessa forma, o empregador terá de respeitar as medidas do artigo 10C, mencionado anteriormente neste artigo. O estabelecimento impõe pausas regulares (todas as duas horas) aos colaboradores que trabalham com máscara de higiene.

10 – Dados pessoais dos clientes

Os dados pessoais de cada cliente, nome e número de telefone, assim como hora, data de chegada e número da mesa, terão de ser guardados caso o cliente consumir no estabelecimento. Estes dados têm de ser guardados durante 14 dias e têm de ser destruídos integralmente. O serviço médico cantonal poderá exigir as coordenadas dos clientes se for necessário. Desta forma, poderá ser feito o rastreamento de transmissão do vírus. O estabelecimento também tem de ter a capacidade de informar qual foi o colaborador que serviu determinados clientes nos últimos 14 dias.

Para ter informações mais detalhadas, basta dirigir-se aqui. As medidas são sem dúvida restritivas, mas são uma forma de voltar lentamente a uma vida normal.

Para ajudares no desenvolvimento do site Emigrar para a Suíça, segue as páginas no Facebook e Instagram. Obrigado!